Experiente e vencedor, Doriva pode ser 'complemento' de Sylvinho no Corinthians

·2 minuto de leitura


Muito se fala na inexperiência de Sylvinho como treinador, já que o Corinthians será o seu segundo trabalho efetivo na função. No entanto, ao lado do novo comandante corintiano está um profissional experiente e vencedor: Doriva.

Contemporâneo de Sylvinho como atleta, Doriva jogou ao lado do treinador do Timão, entre 2001 e 2002, no Celta de Vigo (ESP) e se conhecem bem.

>> Confira a tabela do Brasileirão e simule os jogos do Corinthians

Dois anos mais velho, o auxiliar encerrou a carreira dois anos que o seu companheiro, em 2008, e quatro anos depois passou a integrar a comissão técnica do Ituano. Em 2014 teve a sua primeira chance como efetivo no Galo de Itu e conquistou o surpreendente Paulistão daquele ano, derrotando Palmeiras na semifinal e Santos na decisão. O título foi o suficiente para projetar Doriva à elite do futebol brasileiro.

No ano seguinte, mais um título estadual, dessa vez o Carioca, pelo Vasco da Gama.

No entanto, a carreira de Doriva como técnico acabou não decolando como se estimava após essas conquistas relâmpagos.

No mesmo ano de 2015, da conquista no Rio de Janeiro, o hoje auxiliar chegou ao banco de reservas do São Paulo, clube que o projeto na carreira de jogador, mas novamente ele não foi bem e, daí em diante, só acumulou trabalhos mais modestos em clubes como Bahia, Santa Cruz, Atlético-GO, Novorizontino, Ponte Preta, CRB, CRB, Criciúma, São Bento, até aceitar recalcular rota e voltar para um novo início na carreira, como auxiliar técnico, como no Ituano, em 2012, mas dessa vez no Corinthians.

Por isso, a escolha de Sylvinho em ter Doriva ao seu lado pode ser um grande acerto para esse início de trabalho.

O ex-lateral-esquerdo corintiano, que encerrou a carreira como jogador em 2010, já começou a trabalhar em comissões técnicas no ano seguinte, passando por Cruzeiro, Sport e Náutico, como auxiliar, até chegar no Timão, em 2013, onde ficou até o ano seguinte. Foram quatro anos como auxiliar técnico no Brasil até a primeira experiência internacional em comissões, e justamente indo para a Inter de Milão, trabalhar com Vagner Mancini. Estudioso e inquieto, Sylvinho permaneceu estuando e trabalhando. Após a Inter, dois anos de Seleção Brasileira, com Tite, até o primeiro voo solo, como técnico do Lyon (FRA). Aterrizou rápido demais. Sem Doriva, onze jogos, três vitórias e demissão.

Agora, com um técnico vencedor e tarimbado ao seu lado, Sylvinho chega ao Corinthians para asua primeira experiência como técnico efetivo em clube brasileiro, podendo somar a experiência de campo e conquistas de Doriva com todo o seu conhecimento adquirido.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos