Experiência x números: Gustavo Henrique e Léo Pereira se firmam como titulares de Ceni no Flamengo

Lucas Pessôa*
·3 minuto de leitura


A fragilidade do sistema defensivo se tornou o maior problema do Flamengo durante a passagem de Domènec Torrent. Foram muitas as duplas testadas, mas nenhuma passou total confiança a ponto de se firmar. Contratado para substituir o técnico catalão, Rogério Ceni optou por outra estratégia e definiu quais seriam seus zagueiros titulares neste início de passagem pelo Flamengo: Gustavo Henrique e Léo Pereira - logo os dois mais questionados pela torcida.

Ambos contratados pelo Flamengo no início deste ano, os zagueiros formaram a dupla de zaga nas duas partidas de Rogério Ceni no comando do Flamengo até aqui: a derrota de 2 a 1 para o São Paulo e o empate em 1 a 1 com o Atlético-GO. Agora, se preparam para o duelo decisivo contra o São Paulo, pelas quartas de final da Copa do Brasil, nesta quarta-feira.

Sem dúvida, essa escolha se passa por dois fatores principais. Primeiro, a ausência de Rodrigo Caio, titular incontestável, mas que não joga desde 22 de setembro, em função de problemas físicos. O outro é a experiência de Gustavo Henrique e Léo Pereira em comparação às outras opções do elenco (Natan, Matheus Thuler e Gabriel Noga).

Todos os três são frutos das categorias de base do Rubro-Negro e, com exceção de Thuler, subiram para a equipe profissional às pressas para suprir os desfalques causados pelo surto de Covid-19, em setembro deste ano. Dessa forma, por mais surpreendente que tenha sido o início dos jovens, eles ainda não têm três meses como profissionais e isso pesa na cabeça de Rogério Ceni.

Perguntado sobre o assunto após o empate contra o Atlético-GO no último sábado, o treinador garantiu que os jovens receberão oportunidades, mas citou a bagagem em outros clubes como fatores diferenciais nessa disputa.

- Por que eu acho que não podemos abandonar uma dupla de zaga que já se mostrou muito consistente em seus clubes anteriores. Não posso esquecer deles. Os jovens serão avaliados. Natan e Gustavo suspensos e outro jovem terá oportunidade na próxima rodada. Rodrigo Caio se tornou uma referência. A ausência é sentida.

+ Confira a tabela da Copa do Brasil

NÚMEROS E DESCONFIANÇA DA TORCIDA


Se por um lado os zagueiros conquistaram um voto de confiança do novo treinador, não se pode dizer o mesmo sobre a relação deles com a torcida. E essa desconfiança pode ser explicada pelos números. Desde a chegada de Domènec Torrent ao Flamengo até o momento, oito duplas diferentes foram testadas no zaga titular e a que tem pior aproveitamento é justamente a formada por Gustavo Henrique e Léo Pereira.

Os dois começaram juntos em cinco oportunidades e acumulam uma vitória, um empate e três derrotas. Um aproveitamento de apenas 26,6%. Nessas cinco partidas, o Flamengo sofreu nove gols (média de 1,8 por jogo) e foi vazado em todas elas. Relembre abaixo:

1. Atlético-GO 3 x 0 Flamengo - 2ª rodada do Brasileirão
2. Ceará 2 x 0 Flamengo - 10ª rodada do Brasileirão
3. Vasco da Gama 1 x 2 Flamengo - 15ª rodada do Brasileirão
4. Flamengo 1 x 2 São Paulo - Quartas de final da Copa do Brasil
5. Flamengo 1 x 1 Atlético-GO - 21ª rodada do Brasileirão

Com Gustavo Henrique e Léo Pereira querendo dar a volta por cima, o Flamengo enfrenta o São Paulo nesta quarta-feira, às 21h30 (de Brasília), pela volta das quartas de final da Copa do Brasil. Como perdeu o jogo de ida por 2 a 1, o Rubro-Negro precisa vencer ao menos por um gol de diferença para levar aos pênaltis. Em caso de empate ou nova derrota, a vaga será do Tricolor.

*estagiário sob supervisão de Aigor Ojêda