Experiência de Cristiano Ronaldo é posta à prova contra Alemanha

·4 minuto de leitura

Autor de dois gols na vitória de Portugal por 3 a 0 sobre a Hungria, na estreia na Eurocopa, e personagem de um dos episódios mais simbólicos da competição fora de campo — a recusa ao refrigerante patrocinador na entrevista coletiva —, Cristiano Ronaldo já quebrou uma série de recordes na competição. Entre a artilharia histórica, o número de participações e de vitórias, ele chama ainda atenção pela longevidade. Aos 36 anos, o português chegou a um patamar que pouquíssimas estrelas da história do esporte se aproximam. Hoje, volta a campo para mais um desafio: a Alemanha, às 13h (de Brasília, SporTV transmite) pela segunda rodada do Grupo F.

Muitos contemporâneos de CR7 deram adeus aos gramados antes mesmo de chegar à atual idade de Ronaldo. Zinedine Zidane, por exemplo, se aposentou em 2006, aos 33 anos. O xará Ronaldo pendurou as chuteiras aos 34. Companheiro de Cristiano na campanha do vice-campeonato na Eurocopa de 2004, Figo deixou o futebol exatamente aos 36. Mais do que a longevidade, os números impressionam. Lendas do futebol como Pelé, Di Stéfano e Johan Cruyff, entre outros, não conseguiram chegar a essa idade com estatísticas tão expressivas em campo, e boa parte já estava nos últimos anos da carreira. O húngaro Puskás alcançou números incríveis no Real Madrid, mas em uma época de um futebol mais ofensivo, com mais gols — a Liga dos Campeões de 1962/63, por exemplo, teve média de quase quatro gols por jogo.

ANÁLISE:

Cristiano pode não estar no seu auge, mas segue fazendo a diferença como só um craque do seu quilate é capaz. Cabe ressaltar, porém, que o português se beneficia de todas as tecnologias e a ciência hoje envolvidas no esporte, que não estavam presentes durante a metade do século XX, quando algumas daquelas estrelas fizeram suas carreiras.

— É muito difícil colocar duas eras tão distantes nessa perspectiva. Até mesmo a comparação objetiva, de número de gols, fica distorcida por conta da evolução do jogo. Mas acredito que Cristiano Ronaldo esteja acima por todos os títulos que conquistou e números alcançados, além da longevidade como atleta de altíssimo rendimento. Cristiano Ronaldo elevou o nível de preparação física e ainda parece ter 29 anos, por mais que percorra menos quilômetros em campo — opina o jornalista Victor Canedo.

Romário na briga

O único atleta contemporâneo renomado mundialmente que supera os números do astro da Juventus aos 36 anos é Romário. Enquanto o Baixinho tinha 0,82 gols de média por partida quando tinha essa idade, o atacante português tem 0,79. Porém, é preciso adicionar contexto: enquanto o brasileiro retornou para casa e disputou campeonatos de nível técnico inferior, o português segue atuando nas grandes ligas mundiais.

— Quando veio para o Brasil, o Romário veio jogar num futebol que comparativamente ao futebol à época praticado na Europa não estava em primeiro plano. Mas o Romário não tinha mais interesse em ficar na Europa. Já tinha construído um nome lá, tinha sido campeão mundial, e resolveu vir jogar no Brasil — afirma o jornalista PC Vasconcellos.

— O Cristiano só vai voltar para Portugal e de repente encerrar a carreira no Sporting, onde ele começou, quando sentir que vai se aposentar — completa.

Na atualidade, o grande rival de Cristiano Ronaldo é, claro, Lionel Messi. Aos 33 anos, o argentino também não dá sinais de que vai desacelerar o ritmo. Nesta temporada, já passou dos 40 gols. Resta saber se Messi, que ainda não se decidiu onde vai atuar a partir de julho,o vai manter o alto nível por mais três anos.

— Outros jogadores, como Lewandowski e Benzema, por melhores que sejam, serão grandes coadjuvantes desta geração por estarmos falando de dois extraterrestres — diz Canedo.

LEIA TAMBÉM:

Assim como o camisa 7 de Portugal se beneficiou das evoluções do futebol dentro e fora de campo, uma nova geração surge com números que impressionam cada vez mais cedo na carreira. O norueguês Haaland, que estourou no futebol europeu aos 19 anos, e o francês Mbappé, que na mesma idade conquistava a Copa do Mundo, já foram apontados como possíveis substitutos de Messi e Cristiano. A pouca idade parece um fator relevante para garantir a longevidade próxima a dos craques “trintões”. Mas Vasconcellos vê, ao menos por enquanto, um fator que diferencia o português da nova leva de fenômenos:

— A questão mais importante é de temperamento. O Cristiano desenvolveu ambição, e isso independe de época. O Mbappé é um fenômeno, campeão do mundo com 19 anos, pode vir a ser campeão da Euro e até campeão da Copa novamente. Mas não me parece que o Mbappé tenha o mesmo nível de ambição e se proponha aos mesmos desafios aos quais se propõe o Cristiano.

Elogios de Joachim Löw

Antes de enfrentar Cristiano Ronaldo na Eurocopa, o técnico da Alemanha, Joachim Löw, fez questão de exaltar o astro português pelo o que ele faz em campo.

— Ronaldo faz muito mais do que livrar-se das garrafas de refrigerante. Tem outras qualidades. Joga maravilhosamente pela esquerda e direita. É forte no jogo aéreo, faz gols maravilhoso. Sabemos como é a movimentação dele. Mas precisamos estar atentos ao time todo — declarou o treinador.

Os portugueses lideram a chave, com três pontos, mesma pontuação da França, que encara a Hungria em Budapeste, às 10h, também com transmissão do SporTV.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos