'Existia um poder paralelo no Cruzeiro', diz CEO da Raposa

Na imagem, Gabriel Lima, CEO da Raposa, ao lado de Ronaldo Fenômeno - (Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro)


O Cruzeiro segue a montagem do elenco e o planejamento da próxima temporada, quando vai voltar à primeira divisão do futebol brasileiro. O CEO do clube, Gabriel Lima, disse que a meta da equipe para a Série A do próximo ano é não cair.

Gabriel também contou que antes da chegada da SAF, existia um “poder paralelo” dentro do clube, que prejudicava a instituição.

- Manter-se na Primeira Divisão. Esse será nosso objetivo principal. Provavelmente é a Série A mais disputada dos últimos anos, com poder econômico muito superior ao nosso. Vamos ter que nos reinventar mais uma vez, do ponto de vista de criatividade, em acreditar nossos preceitos, de modelo de jogo, modelo de contratação. A gente sabe que o volume de recursos que teremos para colocar no futebol é para lutar para ficar na Primeira Divisão – disse o dirigente, que reforçou o discurso de um ano novo complicado para a Raposa.

-Talvez o ano de 2023 seja o mais complexo para a gente
Gabriel Lima disse que o Cruzeiro não fará loucuras financeiras para 2023. Segundo ele, todas as medidas estão sendo estudadas cuidadosamente visando evitar uma nova tragédia esportiva- comentou Gabriel, que não quer dar o passo maior do que o clube possa dar em 2023.

- É muito perigoso dar um passo maior que a perna. Nosso processo é pouco a pouco, a gente vem tomando muito cuidado com isso. Nossos passos são extremamente medidos. Uma segunda queda seria trágico para o processo de reconstrução do Cruzeiro.