Exigência de Borja fez Abel negar seu retorno ao Palmeiras

LANCE!/NOSSO PALESTRA
·2 minuto de leitura


Em entrevista ao canal TNT Sports, o técnico do Palmeiras, Abel Ferreira, revelou a razão de não ter aceitado a volta de Miguel Borja ao plantel do clube no início de 2021. O treinador confessou que chegou a se interessar pelo retorno do atacante para fortalecer a equipe, mas não aceitou a exigência de uma vaga no time principal para a disputa da Libertadores durante o andamento da temporada.


– Eu queria ver o Borja em janeiro. O Borja foi convidado a estar conosco para eu ver ele. Falei com ele pessoalmente e gostei muito da conversa. Eu sei que ele foi muito criticado pelos nossos torcedores, mas eu peguei o telefone e falei com o nosso diretor que queria falar com ele – revelou Abel.

O comandante português afirmou que o jogador aprovou a ideia de retornar apesar de estar feliz no Junior Barranquilla-COL, porém solicitou, como condição, jogar a Copa Libertadores. Abel Ferreira respondeu, prontamente, que não seria o caso, afinal, teria que inscrevê-lo de véspera, sem entrosamento com a equipe e ainda cortar algum jogador do elenco inscrito na competição para abrir essa vaga.

– As pessoas tem que perceber que isso não é só estar em casa e decidir quem é melhor. Quando ele disse que viria só na perspectiva de jogar a Libertadores, eu disse que não. Disse que preferia acreditar naqueles que já estavam aqui. Mesmo sabendo que o Luiz Adriano poderia se lesionar e eu ficar sem nenhum – ressaltou o treinador, enfatizando o valor dos atletas que já estavam com o time desde o começo da temporada.

– Eu estou a jantar na minha casa com a minha família e, amanhã, entra uma pessoa e senta na mesa pra comer. Isso é desconfortável para todos nós. Quando nós vamos buscar um jogador e ele entra para uma equipe, ele tem que se adaptar. Não podia trazer o Borja nessa altura – encerrou.

Além disso, Abel ainda explicou que não havia a necessidade imediata de trazer o jogador e, como ele ainda teria contrato com o Palmeiras no futuro, seria possível repensar a decisão da reintegrá-lo ou negociá-lo.


– Queríamos dar uma oportunidade, até para o clube reaver o dinheiro que investiu nele. Mas também não há só uma forma. Ele optou por ficar, não vir e ele é nosso jogador. Está feliz onde está. Está bem e está rendendo. Vamos ver no futuro. Ele não pode vir agora, mas temos de esperar. Está tudo em aberto, ele ainda é jogador do Palmeiras. O Palmeiras, no futuro, pode decidir se ele vem ou se o vende – finalizou o português.

Abel Ferreira terminou o o assunto garantindo que tudo já estava muito bem resolvido entre ele, Borja e a diretoria alviverde. Emprestado ao Junior Barranquilla até a metade deste ano, o atacante colombiano tem contrato com o Palmeiras até o final de 2022.