Torcedor do Boca que fez gestos racistas em jogo contra o Corinthians sequer foi preso preventivamente

Torcedor do Boca Jrs foi detido por ato de racismo em jogo no Brasil (Foto: Alex Silva / LANCEPRESS!


Leonardo Ponzo, torcedor do Boca Juniors detido por atos racistas em jogo contra o Corinthians, na Neo Química Arena, sequer foi encarcerado durante as horas em que esteve na sede do Departamento de Operações Policiais Estratégicas (Dope), em São Paulo, durante a madrugada da última quarta-feira (27).

> GALERIA - Veja todos os técnicos estrangeiros do Timão
> TABELA - Confira e simule os jogos da Libertadores
> GUIA - Tudo sobre o Corinthians na Libertadores

Segundo apurou a reportagem do LANCE!, Leonardo, que foi flagrado imitando um macaco em direção à torcida corintiana no intervalo do jogo, não foi preso preventivamente, mesmo com as imagens obtidas pela Polícia Militar no estádio e que certificam as ações do infrator.

Em contato com o Dope-SP, a reportagem foi informada que o procedimento feito com Ponzo foi o de praxe. O argentino, assim como todos os envolvidos na denúncia, foram escutados e ficaram aguardando os procedimentos de rotina. Leonardo esperou em uma sala, sem ir para a cela.

Leonardo foi transportado da Neo Química Arena até o Dope-SP no chamado "chiqueirinho" da viatura policial, parte de trás do veículo equivalente ao porta-malas, enquanto os dois torcedores corintianos que testemunharam o ato racista foram no interior do carro.

A fiança de Leonardo Ponzo foi paga pelo consulado argentino, segundo informação publicada inicialmente pela ’Folha de S.Paulo’ e confirmada pelo L!.

A reportagem também apurou que os representantes do consulado argentino portavam cerca de R$ 1 mil quando chegaram à sede do Dope-SP e, durante a madrugada, buscaram o restante do valor para completar o pagamento da fiança. Caso os integrantes do consulado tivessem os R$ 3 mil desde o princípio, Ponzo poderia ser liberado antes mesmo do amanhecer da quarta.

A reportagem do LANCE! tentou contato com o consulado argentino em São Paulo por telefone e e-mail, porém até o momento não obteve resposta. Caso haja o retorno, a matéria será atualizada.

Leonardo Ponzo foi liberado do Dope-SP apenas na manhã de quarta-feira (27) e foi acompanhado de quatro representantes do consulado argentino. Ele retornou no mesmo ônibus no qual chegou ao Brasil, já que o veículo aguardou o torcedor para prosseguir viagem de volta à Argentina.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos