Gabriel Jesus se vê mais maduro no City e rechaça pressão por Champions League

Goal.com

Figurinha certa na seleção brasileira do técnico Tite, Gabriel Jesus vivia um de seus melhores momentos na Europa antes da parada por conta da pandemia do novo coronavírus. Muito além dos gols, 18 até aqui, o jogador disfrutava de atuações decisivas como na vitória por 2 a 1 do Manchester City sobre o Real Madrid, no Santiago Bernábeu, pelo primeiro jogo das oitavas de final da Champions League. Em entrevista exclusiva ao Brasil Global Tour, o camisa 9 da Canarinho comentou a excelente fase na carreira. 

"Eu tenho tido uma sequência boa, bons minutos em campo, fui titular em algumas partidas importantes, como contra o Real Madrid na Champions League, e isso ajuda qualquer jogador a ter um desempenho melhor, jogar mais, estar feliz. Acho que vivia um dos melhores momentos pelo City antes da pausa", analisou. 

A escalação de Pep Guardiola para este confronto tão aguardado surpreendeu os torcedores. Ele optou por deixar o argentino Sergio Aguero no banco e começar o jogo com Gabriel Jesus, que soma seis gols em cinco jogos nesta edição da competição europeia. Apesar da surpresa para muitos, o atacante brasileiro diz que encarou a chance com naturalidade. 

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio
Gabriel Jesus Manchester City 2019-20
Gabriel Jesus Manchester City 2019-20

"Ah, foi natural. O Pep costuma fazer isso, de revezar ali na frente, às vezes eu jogo os jogos das Copas e o Kun os da Premier League, e vice-versa, então quando eu soube que ia jogar vi de forma natural. Claro que fiquei feliz, todo jogador sonha em atuar em uma partida dessa grandeza, contra o Real no Bernabéu. Que bom que deu tudo certo, ajudei a equipe e conseguimos sair com a vitória". 

Mais do que escalar Gabriel Jesus como titular, Guardiola colocou o brasileiro atuando do jeito que ele se sente mais confortável: com liberdade para se movimentar, saindo da esquerda e partindo da lateral em direção ao centro da área.

"Eu sempre atuei como esse atacante de lado que chega bastante na área, desde o Palmeiras já era assim e me sinto muito bem e confortável atuando assim. Claro, jogo também como referência ali no ataque, mais enfiado dentro da área, sem problema nenhum e também já estou acostumado. Mas minha posição sempre foi ali atuando pelo lado". 

Desde que chegou ao City na metade da temporada 2016/2017, Jesus faturou quase todos os títulos, incluindo um bicampeonato da Premier League, mas a Champions League segue sendo o grande projeto do clube, uma conquista inédita que colocaria a equipe de Guardiola de uma vez por todas na prateleira mais alta da Europa. Mesmo com foco na "maior competição de clubes do mundo", o brasileiro rechaça pressão pela "orelhuda". 

Manchester City celebration vs Aston Villa Carabao Cup final 2019-20
Manchester City celebration vs Aston Villa Carabao Cup final 2019-20

"Acho difícil falar em pressão para um time que conquistou tantos títulos como o nosso nos últimos anos, né? Fomos bicampeões da Premier League, ganhamos Carabao Cup, FA Cup, enfim. Então não vejo que temos pressão para vencer uma competição, mas claro que a Champions League é desejo de todos por aqui, como é para toda equipe que disputa essa competição. É o principal torneio de clubes do mundo e todo mundo quer vencer, normal". 

Com apenas 23 anos, Gabriel Jesus já teve experiências intensas na carreira, como faturar o inédito ouro olímpico, em 2016, brigar por espaço com o maior ídolo da história do Manchester City (Aguero) e sair de uma Copa do Mundo com a camisa 9 da seleção brasileira sem balançar as redes. Essa "seca" no Mundial de 2018 abalou o atleta nos meses posteriores ao torneio na Rússia, mas hoje Gabriel Jesus afirma que a dificuldade foi transformada em "amadurecimento". 

Gabriel Jesus penalti perdido Brasil Peru Copa América 22062019
Gabriel Jesus penalti perdido Brasil Peru Copa América 22062019

"Eu acho que é um processo de amadurecimento mesmo, de evolução como pessoa e jogador. Realmente passei pelo período mais difícil na minha ainda curta carreira, mas eu consegui voltar a fazer o que mais gostava, estar feliz novamente. Ter minha família e meus amigos próximos também me ajudou demais na época, e aí eu comecei a viver uma sequência muito positiva que dura até hoje". 

Leia também