Ex-técnico do Cruzeiro compara seu trabalho com o de Paulo Pezzolano: 'Similar'

No comando técnico do time celeste, Conceição disputou apenas 19 partidas - (Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro)


Com passagem curta e sem muito sucesso pelo Cruzeiro, o técnico Felipe Conceição não chegou nem perto de fazer o grande trabalho de Paulo Pezzolano na Raposa. Mesmo assim, o ex-treinador celeste, ao relembrar sua passagem pela Toca da Raposa, citou semelhanças quando ao estilo de jogo do uruguaio.

- Minha visão é um jogo intenso, similar ao do Pezzolano, com intensidade alta, jogo de transições forte, agressivo - declarou Conceição, em entrevista ao Portal Superesportes.

No entanto, em seguida, o treinador relatou que teve dificuldades de material humano no Cruzeiro. Segundo ele, jogadores que foram testados na posição de "camisa 10" não evoluíram dentro do modelo de jogo proposto. Felipe Conceição citou ainda que, em trabalhos posteriores ao Cruzeiro, obteve sucesso.

- (...) esse camisa 10 tradicional geralmente tem alguma dificuldade para fazer esse tipo de jogo. Eu tive outras experiências positivas no Guarani, com 'camisas 10', e que tiveram sucesso dentro do modelo de jogo, atuaram bem, evoluíram. É do modelo de jogo, mas é também do que você tem, das 'ferramentas' (...). O modelo pede jogadores intensos, que fazem do coletivo muito forte - complementou.

O técnico deixou o Cruzeiro em junho de 2021, após a eliminação catastrófica na Copa do Brasil, diante da Juazeirense-BA. Ao todo, foram 19 partidas no comando técnico celeste, com oito vitórias, três empates, oito derrotas e um aproveitamento de 47,36% dos pontos disputados.