Ex-técnico afirma que Nick Diaz tem potencial para destruir Masvidal no UFC

Jorge Masvidal venceu Nate Diaz por nocaute técnico no UFC 244 – Jason Silva/ PXImages

Mesmo sem competir profissionalmente há quase cinco anos, Nick Diaz voltou com tudo aos holofotes do MMA. Dias após Jorge Masvidal derrotar Nate Diaz na luta principal do UFC 244, em Nova York (EUA), o veterano veio a público desafiar o mais recente algoz de seu irmão mais novo. E, na opinião de seu ex-treinador, Cesar Gracie, o ‘valentão’ americano teria grandes chances contra ‘Gamebred’ em um confronto oficial.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Em participação no programa ‘Ariel Helwani’s MMA Show’, Cesar aproveitou para alfinetar Masvidal e afirmar que o cinturão ‘BMF’ (mais durão de todos), hoje em posse de Jorge, é perfeito para Nick Diaz. E, de acordo com seu ex-treinador, o meio-médio (77 kg) teria potencial para derrotar Gamebred, mesmo após anos afastado dos octógonos.

“Esse é o cinturão dele, o título de ‘mais durão’, Nick é o mais durão, com certeza. É o cinturão perfeito para o Nick. A mídia em torno disso seria tão grande, lutar com um cara desses. Ele tem que encarar os caras que estão em evidência agora”, opinou Cesar, antes de projetar um duelo de seu antigo pupilo com Masvidal no Ultimate.

“Assisti a luta do Masvidal com o Nate e pensei: ‘Ok, esse cara tem boas mãos, é um lutador duro’. Mas acho que o Nick no auge, não sei como se sairia, ele teria que entrar em forma. Mas o Nick Diaz que eu vi no auge ou próximo disso, destruiria caras como esse (Masvidal). Seria incrível para os fãs que não conhecem o Nick Diaz. Sejamos sinceros, existem muitos fãs novos no esporte, e o Nick está afastado por um bom tempo. Para esses fãs que não sabem quem é Nick Diaz, isso seria um grande cartão de visitas em seu retorno”, completou o treinador.

Masvidal vive, provavelmente, sua melhor temporada da carreira. Em 2019, são três vitórias contra grandes nomes da companhia: Darren Till, Ben Askren e Nate Diaz, respectivamente. As performances fulminantes o elevaram a um patamar de astro dentro do UFC atualmente. Já Nick não sabe o que é lutar desde janeiro de 2015, quando encarou Anderson Silva – em um combate sem resultado oficial devido ao doping de ambos atletas envolvidos no duelo.

Leia também