Ex-técnica dos EUA é suspensa após ginastas relatarem abuso e agressões


Ex-treinadora da ginasta Laurie Hernandez, campeã olímpica nos Jogos Rio-2016 na disputa por equipes e medalhista de prata na trave, Maggie Haney foi suspensa do esporte por oito anos na última quarta-feira, por condutas abusivas que foram denunciadas por atletas e profissionais do meio. A pena foi aplicada por um painel da USA Gymnastics, federação do país.

Ela foi acusada de praticar agressões verbais, humilhações, intimidações, perseguições e até de forçar meninas a treinarem lesionadas.

Haney, de 42 anos, é dona da academia MG Elite Gymnastics em Nova Jersey, onde treinava até pouco tempo Riley McCusker, integrante da seleção americana, campeã no Mundial de 2018. Ela e Laurie foram algumas das testemunhas ouvidas pela entidade.

Pelo menos seis famílias fizeram acusações de abuso, de acordo com Karen Goeller, outra treinadora de ginástica em Nova Jersey e uma das duas pessoas que forneceram informações para as autoridades.

Haney está impedida de participar da federação e de qualquer treinamento de atletas e clubes filiados à USA Gymnastics.

Um período de estágio de dois anos deverá seguir a suspensão. Depois disso, ela poderá se inscrever novamente após apresentar a prova de que concluiu os cursos especificados supervisionados pelo Centro para o SafeSport dos Estados Unidos, a organização que investiga incidentes de má conduta nos esportes olímpicos.

O caso se soma a outro escândalo recente na ginástica dos Estados Unidos. Larry Nassar, médico da equipe nacional, foi preso por abusar sexualmente de centenas de atletas. Em 2018, ele recebeu sentenças de prisão de até 175 anos.













Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também