Ex-presidente da Fifa critica repressão a mulheres no Irã e diz que país deve ser expulso da Copa

Blatter critica situação das mulheres no Irã (AFP)


Logo depois de ter afirmado que a escolha do Qatar como país-sede da Copa do Mundo foi um "erro", o presidente da Fifa Joseph Blatter falou sobre a situação do Irã, em entrevista ao jornal suíço "Blick'. O ex-mandatário da entidade máxima do futebol criticou a repressão a mulheres no país persa.


O Irã vive um momento de tensão política desde a morte de Mahsa Amini, uma jovem de 22 anos que foi morreu após ser presa em Teerã pela polícia da moral por quebrar as rigorosas leis de vestimenta aplicada às mulheres. O ocorrido desencadeou uma onda de protestos com repressão violenta.

Blatter disse que o Irã deveria ser expulso da Copa do Mundo e ainda disse que faria com que o país fosse excluído se ele fosse o mandatário da Fifa.

+ Aston Villa apresenta novo escudo: veja times que trocaram de símbolo nos últimos dez anos

Em julho deste ano, Blatter e o ex-presidente da Uefa Michel Platini foram absolvidos de um julgamento por corrupção. Os dois foram julgados por um caso de 2011. Na ocasião, o ex-presidente da Fifa teria feito um pagamento de 2 milhões de francos suíços (R$10 milhões) ao francês. O tribunal alegou que o pagamento foi feito de maneira ilegal ao ex-mandatário da Uefa.

O Irã está no grupo B da Copa do Mundo com Inglaterra, Estados Unidos e País de Gales.