Ex-presidente do Corinthians contesta gestão de Bandeira no Fla: 'Pagou R$ 46 milhões no Guerrero'


Nos últimos anos, a gestão financeira do Flamengo tem sido bastante elogiada por torcedores e pela imprensa. O planejamento que começou em 2013, com o então presidente Bandeira de Mello, rendeu diversos títulos importantes em 2019, já no mandato de Rodolfo Landim. No entanto, o ex-presidente do Corinthians, Roberto de Andrade, questionou os valores gastos pelo Rubro-Negro sob o comando de Eduardo Bandeira de Mello.

- Essa história que o Bandeira (de Mello) fez uma gestão para economizar, asfaltando tudo para essa nova diretoria, é conversa para boi dormir. Tentou montar time para ser campeão três ou quatro vezes, gastou o que não tinha, ficou devendo. O que salvou o Flamengo foi vender 300 e tantos milhões de jogador. Hoje todo mundo enaltece a gestão de mão de ferro do Bandeira, que não gastou. Como é que não gastou? Pagou R$ 46 milhões no Guerrero. E estou falando de um jogador só - questionou Roberto, e em seguida completou.

- Como eu ia assinar uma renovação com o Guerrero, na ordem de R$ 46 milhões, e deixar os outros jogadores. Falei para ele: vá com Deus. Ele foi embora e nós fomos campeões. Deus ajuda quem faz as coisas direito. Não adianta eu quebrar o Corinthians para ter o Guerrero - afirmou.

Além disso, o ex-dirigente do Corinthians comparou as gestões de Eduardo Bandeira de Mello e de Rodolfo Landim, à frente do Rubro-Negro.

- Repercute todo dia esse assunto na televisão. ‘Ah, agora estão dando valor para o Bandeira’. Valor do quê? Quem está na história, o Bandeira ou o Landim? Então está bom - finalizou.








Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também