Ex-presidente da Conmebol, preso em Miami, contraiu COVID-19

AFP
Juan Angel Napout, então presidente da Conmebol, em 29 de maio de 2015 na sede da Fifa em Zurique
Juan Angel Napout, então presidente da Conmebol, em 29 de maio de 2015 na sede da Fifa em Zurique

O ex-presidente da Conmebol, o paraguaio Juan Angel Napout, contraiu COVID-19 em uma prisão de Miami, onde cumpre nove anos de prisão pelo escândalo do Fifagate, revelou seu advogado nesta segunda-feira.

"Ele praticamente não conseguiu falar quando sua esposa ligou. Estava com uma irritação muito incômoda na garganta" e com problemas respiratórios, disse seu advogado José González à estação de rádio 730 AM em Assunção.

"Ele é diabético, hipertenso e tem um quadro de estresse muito alto", afirmou o advogado, confirmando que seu cliente contraiu o coronavírus.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

"Ele tem sintomas, não é assintomático e essas pré-condições (diabético, hipertenso e estresse), por estar infectado com COVID, tornam extremamente perigoso para a saúde", afirmou o advogado.

Ele acrescentou que "não sabemos qual é sua condição atual", mas disse que se informou de que "o protocolo médico para isolamento foi implementado e será monitorado".

González anunciou que a defesa solicitará a transferência para o Paraguai de Napout para cumprir o resto de sua sentença, em um total de 5 anos, por "conspiração, fraude eletrônica e lavagem de dinheiro" no caso que ficou conhecido como Fifagate, no qual estão detidos ou processados principalmente empresários e ex-líderes latino-americanos.

Napout testou positivo para coronavírus pouco menos de uma semana depois que um juiz federal de Nova York rejeitou pela segunda vez um pedido de prisão domiciliar "compassiva" solicitada pelo ex-chefe da Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol).

O ex-dirigente da Conmebol está cumprindo pena na Correcional Federal de Miami, onde 70 infecções já foram registradas entre os detentos e 7 na equipe de funcionários, disse o advogado.

"Ainda não acho que uma liberação compassiva se justifique no momento", disse a juíza Pamela Chen, do Brooklyn, em sua decisão divulgada na quarta-feira, 15 de julho.

Chen marcou outra audiência para 29 de julho para determinar o destino de Napout.

"Não sabemos o que acontecerá entre agora e 29 de julho. Sua condição diabética e hipertensa torna sua situação extremamente delicada. Seu estado de saúde é muito grave", disse o porta-voz de Napout.

Leia também