Ex-presidente do Barcelona, Josep Maria Bartomeu, é detido pela polícia

LANCE!
·1 minuto de leitura
Josep Maria Bartomeu during the presentation of Pedri as the new player of FC Barcelona, on 20th August 2020. (Photo by Noelia Deniz/Urbanandsport /NurPhoto via Getty Images)
Josep Maria Bartomeu durante a apresentação de Pedri como jogador do Barcelona em 20 de agosto de 2020 (Noelia Deniz/Urbanandsport /NurPhoto via Getty Images)

Josep Maria Bartomeu, ex-presidente do Barcelona, foi detido em sua casa pela polícia da Catalunha por conta do caso do Barçagate, segundo a imprensa espanhola. Óscar Grau, CEO do clube, Romà Gómez Ponti, responsável pelos serviços jurídicos e Jaume Masferrer, assessor e braço direito do ex-mandatário, também foram presos.

Alejandra Gil, juíza do caso, enxergou indícios de delitos após receber um informe dos Mossos d’Esquadra (grupo especial da polícia catalã). No último mês de fevereiro, a responsável pelo caso afirmou que as investigações iam seguir de forma secreta, uma vez que ainda faltavam documentações e depoimentos a serem lidos.

Leia também:

De acordo com jornalistas, é possível que todos os presos sejam libertados nas próximas horas após prestarem depoimentos. No entanto, a polícia utilizou esta estratégia para que pudesse apreender documentos que comprovem irregularidades em contratos do Barcelona com a empresa I3Ventures sem que nenhuma evidência pudesse ser alterada.

>> Ouça o 'Segunda Bola', o podcast do Yahoo com Alexandre Praetzel e Jorge Nicola

Entenda o Barçagate

Em fevereiro de 2020, a imprensa catalã revelou que a I3Ventures foi contratada pelo Barcelona para administrar contas nas redes sociais com o intuito de defender a diretoria presidida por Bartomeu e atacar ex-presidentes, como Joan Laporta, jogadores, como Messi e Xavi, e empresários locais. As investigações geraram a demissão de diversos membros da diretoria e os responsáveis pelo caso acreditam que há indícios de corrupção nos contratos entre o clube e a empresa.