Ex-presidente do Barcelona questiona polícia espanhola: 'Por que contratamos Neymar?'


O ex-presidente do Barcelona, Sandro Rosell, explica em seu livro ‘Un Fuerte Abrazo’ (Um Forte Abraço), que será lançado no próximo dia 23 de março, que a polícia espanhola implantou provas em sua casa para incriminá-lo e prendê-lo. Após 645 dias presos acusado de lavagem de dinheiro e organização criminosa, o dirigente citou até a contratação de Neymar como uma das possibilidades para a prisão.

Em um dos trechos divulgados, há a história sobre a suposta implantação de provas contra Rosell em sua casa.

- Um dos policiais se aproximou de mim e me disse que precisávamos verificar o conteúdo do armário juntos. Toda a pesquisa havia sido feita sem mim. Eu não entendo, mas presto atenção. O policial abriu o armário e foi direto no casaco de Marta (esposa de Rosell) e tirou de um dos bolsos um envelope com o conteúdo que dizia “RT” e “5K”. Eu disse que aquilo não era meu e ele me respondeu falando que deveria ser da minha esposa. Eu disse que também não era dela, que na manhã não havia nada ali.

O 5K escrito no envelope seria referente a 50 notas de 100 euros, totalizando cinco mil euros que foram encontradas. O ex-mandatário ainda se pergunta o motivo da operação ter sido dada da maneira que foi.

- Será que foi porque colocamos quatro listras na camisa do Barça? Talvez tenha sido porque contratamos Neymar contra a vontade de outro time? Ou que havíamos vendido os direitos de televisão do clube para um meio ao invés de outro? - concluiu.

Sandro Rosell foi absolvido de todas as acusações sofridas no dia 24 de abril de 2019 junto de outros cinco acusados. Outros detalhes sobre a sua relação com os agentes e sobre o período de sua prisão também foram abordados no livro.











Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também