Ex-piloto Zanardi segue estável em hospital após acidente

AFP
Alex Zanardi participa de uma competição de paraciclismo em Roma, 2 de abril de 2017
Alex Zanardi participa de uma competição de paraciclismo em Roma, 2 de abril de 2017

O ex-piloto de fórmula 1 Alex Zanardi, gravemente ferido na sexta-feira (19) em um acidente durante uma corrida de paraciclismo, segue em estado estável, de acordo com os médicos do hospital de Siena.

"O paciente passou a noite em condições de estabilidade cardiorrespiratória e metabólica. Ele segue sedado, entubado e respirando por aparelhos", explicou o hospital Santa Maria alle Scotte em boletim médico.

"Este estado atual de estabilidade geral não permite ainda excluir a possibilidade de evolução negativa e o prognóstico do paciente continua conservador", completaram os médicos.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Zanardi, de 53 anos, ficou gravemente ferido na cabeça após perder o controle de sua bicicleta pedalada com as mãos e colidir com um caminhão, sofrendo várias fraturas na face.

"Quanto mais tempo passa, mais estável ele fica. Isso nos dá confiança e esperança, já que não houve passo para trás", explicou o doutor Sabino Scolletta, responsável pelos serviços de emergência do hospital de Siena.

"Esperamos que as condições clínicas sigam estáveis, o que nos dará a possibilidade durante a semana de começar a avaliar a situação neurológica", completou.

No sábado, Scolletta havia sugerido um "quadro neurológico grave".

Uma investigação foi aberta sobre as circunstâncias do acidente e o motorista do camião já depôs.

Ex-piloto de Fórmula 1, Zanardi se tornou um ícone do esporte paralímpico no mundo após seu acidente de 2001 quatro medalhas de ouro e duas de prata nos Jogos Olímpicos de 2012 e 2016, além de 10 títulos mundiais, todos no paraciclismo.

Após ter as duas pernas amputadas em 2001 devido a um grave acidente de automóvel, Zanardi se tornou um ícone do esporte paralímpico mundial, conquistando quatro medalhas de ouro e duas de prata nos Jogos Olímpicos de 2012 e 2016, além de 10 títulos mundiais, todos no paraciclismo.

Leia também