Ex-participante de Reality Show vira titular do Grêmio com ajuda de ídolos dos anos 90

Órfão de mãe, abandonado pelo pai e criado pelos avós no subúrbio carioca, Michel foi inscrito por um tio no programa “Joga Bonito”, uma espécie de Reality Show. (Foto: Gazeta Press)

Por Vinicius Galante

Uma frase atribuída ao escritor Eduardo Bueno resume o estilo guerreiro e brigador que a torcida do Grêmio aprecia: “O nosso 10 é o 5”. Hoje, quem veste a camisa 5 do Grêmio é Michel, um volante que já participou até de um Reality Show para realizar o sonho de ser jogador de futebol, pensou em abandonar a carreira em 2016 tantas eram as dificuldades, mas não desistiu e contou com a ajuda de ex-jogadores de renome .

Órfão de mãe, abandonado pelo pai e criado pelos avós no subúrbio carioca, Michel foi inscrito por um tio no programa “Joga Bonito”, uma espécie de Reality Show exibido pela TV Bandeirantes em 2006 para encontrar um novo craque para o futebol brasileiro.

Aos 15 anos, Michel foi eliminado bem antes das fases decisivas, mas como geralmente acontece neste tipo de atração destinada a descobrir novos talentos, não é o vencedor quem consegue mais destaque.

“Fui eliminado mais ou menos no décimo episódio, mas o programa foi só o começo do meu sonho. Só de ter participado eu fiquei feliz”, relembra o hoje jogador do Grêmio, que teve Vanderlei Luxemburgo como técnico na atração televisiva.

Sem a visibilidade instantânea que o programa de TV poderia lhe proporcionar, Michel começou a jogar nas divisões de base do tradicional São Cristovão, o clube que revelou Ronaldo Fenômeno. Depois disso, a carreira do jogador começou a cruzar com alguns ex-jogadores famosos.

O primeiro deles foi Roberto Assis. Em 2011, Michel aceitou a proposta para defender o Porto Alegre, clube pertencente ao irmão de Ronaldinho no Campeonato Gaúcho daquele ano.

O Porto Alegre foi rebaixado naquele ano e seria extinto logo na sequência, mas Michel tocou sua carreira. Após passagens por Madureira e Guarani de Palhoça-SC, outro ex-jogador de renome cruzou o caminho de Michel.

Em 2014, o ex-atacante Guilherme Alves, artilheiro de Atlético-MG, Corinthians e seleção brasileira, virou técnico do Novorizontino e teve de montar uma equipe do zero para a disputa da terceira divisão paulista. A descoberta de Michel se deu por acaso na segunda divisão catarinense.

“Eu fui para Imbituba ver uma partida de olho em outro jogador, mas o Michel se destacou tanto naquela noite que eu fui ao vestiário e perguntei se ele gostaria de jogar no Interior de São Paulo.”, explicou Guilherme.

“O Guilherme ter me achado lá em Imbituba foi fundamental para a minha carreira, sem dúvida”, agradece Michel.

Michel topou a oferta e foi campeão da terceira divisão paulista, mas optou por voltar para Santa Catarina e defendeu o Camboriú na primeira divisão estadual de 2015. Guilherme, entretanto, não se esqueceu do seu pupilo. Ainda trabalhando no Novorizontino, convidou o volante para disputar a primeira divisão do Campeonato Paulista em 2016.

Órfão de mãe, abandonado pelo pai e criado pelos avós no subúrbio carioca, Michel foi inscrito por um tio no programa “Joga Bonito”, uma espécie de Reality Show. (Foto: Gazeta Press)

Michel aceitou voltar para o ex-time, afinal ao Campeonato Paulista é uma vitrine cobiçada para qualquer jogador. Mas o começo daquele ano não foi fácil. O volante sequer entrou em campo nas seis primeiras rodadas e o desânimo foi tão grande que ele confessa que pensou em abandonar a carreira: “Eu treinava muito bem , mas não tinha chances, relembra”.

Mas a sorte de Michel começou a mudar no sétimo jogo daquele campeonato. O Novorizontino ainda não havia vencido, corria risco de rebaixamento e o técnico Guilherme estava seriamente ameaçado de demissão. Foi então que ele resolveu apostar no seu velho conhecido.

Michel entrou no segundo tempo do jogo com o Audax  e , logo de cara, marcou um gol. O Novorizontino venceu aquele jogo por 3 a 2 e o volante não saiu mais do time. Foi o começo da virada na carreira do jogador. E um ídolo histórico do Grêmio teve papel importante nesta guinada.

Campeão da Copa Libertadores pelo Grêmio em 1995 e hoje dirigente da equipe do interior paulista, o ex-volante Luis Carlos Goiano viu que Michel tinha grande potencial e foi um dos responsáveis pela renovação de contrato do jogador com o clube paulista.  A princípio, o objetivo era fazer com que ele jogasse novamente o Paulista no ano seguinte.

Mas era preciso arrumar um time para Michel jogar no segundo semestre de 2016, já que o Novorizontino não tinha mais competições para disputar em naquele ano após o fim do Campeonato Paulista. 

Com ajuda de Goiano, Michel conseguiu uma vaga no Atlético-GO, uma equipe que disputaria a Série B sem muitas pretensões. Mas pelo menos o atleta teria um lugar para se manter em atividade.

Contrariando expectativas, equipe goiana surpreendeu naquele torneio, conquistou o título e superou inclusive o poderoso Vasco.  Michel foi um dos destaques daquela campanha.

Neste momento, o Novorizontino se deu conta que poderia lucrar com Michel. O plano de contar com o jogador novamente foi abortado e o objetivo passou a ser colocá-lo na vitrine de algum clube da Série A do Campeonato Brasileiro.

Valendo-se de seus contatos no Grêmio, Luis Carlos Goiano fez a ponte com o clube gaúcho. A negociação não foi fácil, cheia de idas e vindas, mas acabou concretizada. Um ano de empréstimo com opção de compra em definitivo.

“Como o Michel se destacou na Série B, o pessoal do Grêmio me procurou e perguntou as características do jogador. O meu trabalho nesta hora foi só descrever suas qualidades, mas o mérito foi todo dele”, afirma Goiano.

Uma chance de ouro, mas novamente parecia que a vida de Michel não seria fácil. O Grêmio havia conquistado o título da Copa do Brasil no final de 2016, tinha um time encaixado e ele teria poucas oportunidades de mostrar serviço. 

Mas Michel soube aproveitar uma janela que se abriu. Titular absoluto, Maicon se machucou e, sem ter quem escalar, o técnico Renato Gaúcho botou o novo contratado para jogar.

A princípio, o jogador foi visto com desconfiança, mas foi se firmando aos poucos.  Um jogo em especial marcou a consolidação de Michel no Grêmio.  Ele marcou dois gols na vitória por 6 a 3 sobre a Chapecoense, um deles em um chute quase do meio-campo. Sincero, o gremista admitiu na época que o lance foi sem querer.

“O pessoal brinca comigo, mas eu não me arrependo de ter dito a verdade. Farei a mesma se acontecer novamente”, diverte-se Michel.

De aposta, Michel virou titular absoluto do Grêmio. Não perdeu seu posto nem quando o ex-capitão Maicon se recuperou de contusão e é, segundo o tradicional prêmio Bola de Prata, o melhor jogador de sua posição no Campeonato Brasileiro. O clube gaúcho, que já pagou R$ 350 mil ao Novorizontino pelo empréstimo, anunciou que vai desembolsar mais R$ 1,2 milhão para contratá-lo em definitivo. Uma pechincha.

Órfão de mãe, abandonado pelo pai e criado pelos avós no subúrbio carioca, Michel foi inscrito por um tio no programa “Joga Bonito”, uma espécie de Reality Show. (Foto: Gazeta Press)