Ex-mulher de Ronaldinho Gaúcho acusa jogador de agressão

Ronaldinho durante cerimônia no Mineirão (DOUGLAS MAGNO/AFP/Getty Images)
Ronaldinho durante cerimônia no Mineirão (DOUGLAS MAGNO/AFP/Getty Images)

A ex-mulher de Ronaldinho Gaúcho, Priscilla Coelho, revelou, em entrevista ao portal "Universa", publicada nesta sexta-feira, ter sido agredida pelo ex-jogador do Barcelona em dezembro de 2018. A acusação rendeu uma ação, que segundo ela, corre em segredo de justiça.

Priscila afirma pedir uma indenização e a partilha dos bens adquiridos por ele entre 2012 e 2019, período em que os dois, ainda segundo a mulher, ficaram juntos. A violência por parte de Ronaldinho teria acontecido em uma festa, na casa em que viviam, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro.

Leia também

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

- Me arrependo amargamente de não ter chamado a polícia. Durante uma briga, ele me empurrou com força e eu caí no jardim do vizinho. Tinha espinhos na grama e eu me machuquei bastante. Passei duas horas ali, chorando, sem acreditar no que tinha acontecido. Não denunciei porque pensei que pudéssemos conversar e nos resolver; afinal, foram seis anos juntos. Mas me enganei - disse Priscilla, que continuou:

- Uma ex-namorada dele ligou duas vezes. Na segunda vez, o celular dele estava comigo. Eu entreguei o aparelho ao Ronaldo e disse: 'É ela, de novo'. Ele ficou bravo e falou que ex-namoradas poderiam ligar a hora que quisessem e que se eu estivesse insatisfeita, deveria pegar minhas coisas e ir embora. Falei que ele não tinha me achado no lixo e que não tinha direito de me tratar assim - contou. Segundo ela, a partir deste ponto, Ronaldinho ficou agressivo.

- Ele me pegou pelo braço e disse que me ajudaria a arrumar minhas coisas para que eu saísse. Pedi para conversar, mas ele entrou no carro para sair de casa. Fui atrás, e ele me empurrou com força. Passei três dias sem comer, trancada no quarto, tentando falar com ele - completou.

RELACIONAMENTO A TRÊS
Segundo o relato, Priscilla vivia um trisal com o ex-atleta - um relacionamento amoroso envolvendo três pessoas, de maneira consentida por todas. A decisão de deixar o apartamento em que morava com o jogador e a segunda mulher dele, Beatriz, na Barra da Tijuca, aconteceu após uma conversa com ela.

- A Bia achou que ele não voltaria para conversarmos. Decidi então ir para um hotel. Liguei pra ele para, mais uma vez, tentarmos conversar, e ouvi: "Tu ainda não foi pra sua casa?'. Coloquei minhas 11 malas no carro e parti para Belo Horizonte. Foram cinco horas de viagem, chorando - relatou Coelho, que hoje trabalha como motorista de aplicativo e mora com a tia.

A VERSÃO DE R10
A reportagem da "Universa", seção do portal "UOL", afirma ter procurado o advogado de Ronaldinho Gaúcho, Sérgio Queiroz, o qual negou que o ex-jogador tenha agredido Priscilla. Segundo ele, não houve, inclusive, acordo para pagamento de pensão até que a analista de marketing voltasse ao mercado de trabalho.

O advogado ainda disse não ter recebido nenhum processo movido por Priscilla Coelho:

- Se ela disse isso, está faltando com a verdade.

Siga o Yahoo Esportes: Twitter | Instagram | Facebook | Spotify | iTunes

Leia também