Ex-jogador holandês Patrick Kluivert é vítima de extorsão

O ex-jogador holandês Patrick Kluivert, em Paris, 2016

O ex-jogador holandês Patrick Kluivert, atual diretor do Paris Saint-Germain, foi vítima de extorsão por uma organização criminosa que exigia até um milhão de euros em dívidas de apostas, informou neste sábado o advogado do ex-atleta ao jornal holandês De Volkskrant.

O jornal afirmou que a justiça não tem "nenhuma prova" do envolvimento do ex-jogador na manipulação de resultados de jogos.

A Receita holandesa (FIOD) pediu a prisão de cinco pessoas em fevereiro e, durante as prisões, foram encontrados documentos comprometedores para Kluivert, que foi interrogado "unicamente como testemunha", garantiu seu advogado, Gerard Sprong.

Baseando-se nesses documentos judiciais confidenciais e em fontes anônimas, o De Volkskrant publicou que Kluivert, na época técnico da equipe filial do FC Twente, apostou em 2011 e 2012 em partidas da equipe principal do clube, acumulando uma dívida de um milhão de euros.

Este tipo de apostas não eram proibidas na época, segundo o jornal, explicando que o ex-jogador de Ajax e Barcelona já teria pago uma parte da dívida.

Contudo, a organização criminosa, cujo chefe está envolvido na manipulação de resultados de jogos, "vem exercendo uma enorme pressão para que Kluivert reembolse" a dívida.

Kluivert, 40 anos, foi ameaçado em 2012 e 2014 com uma gravação na qual era possível ouvir o ex-jogador citando a própria dívida.

Contactado pela AFP, o PSG se limitou a dizer que não fará qualquer comentário a respeito do tema, "dado que isso não afeta diretamente o clube".