Ex-jogador de handebol francês é condenado a 1 ano de prisão por corrupção de menores

Um juiz do tribunal judicial de Paris validou nesta quarta-feira a condenação a um ano de prisão em condicional de Bruno Martini, ex-campeão do mundo e presidente da Liga Francesa de Handebol (LNH), por corrupção de menores.

A pedido do magistrado, Martini compareceu a uma audiência para confessar sua culpa, uma ferramenta que permite impor penas menores caso o réu assuma os crimes dos quais é acusado, e o ex-goleiro admitiu a posse de imagens de pornografia infantil, informou sua advogada.

Além da pena de prisão em condicional, que não deverá ser cumprida caso não haja novas condenações por outros crimes, a sentença inclui uma multa de 2,5 mil euros e cinco anos de proibição de exercer qualquer atividade em contato com menores de idade.

Assim que foi confirmada sua condenação, Martini, de 52 anos, anunciou sua demissão como presidente da LNH, cargo para o qual foi eleito em novembro de 2022.

O ex-jogador foi denunciado em 2020 por uma adolescente de 13 anos, que explicou, segundo informações da rádio France Info, que ele propôs através de uma rede social um encontro, ao qual a jovem não compareceu, após uma troca de imagens de caráter sexual.

Bruno Martini foi goleiro da seleção francesa quando a equipe foi campeã do mundo de handebol em 1995 e 2001. Após encerrar sua carreira como jogador, se tornou dirigente de clubes.

gd-sm-tbm/tjc/psr/mcd/cb