Ex-jogador do Barcelona é condenado a 10 meses de prisão por manipulação de resultados

Xavi Torres estava jogando pelo Lugo na atual temporada (Foto: Reprodução/Lugo FC)


O meio-campista Xavi Torres, ex-Barcelona, foi condenado a 10 meses de prisão, pagamento de multa de 400 mil euros e ainda foi afastado do futebol por 22 meses, nessa quinta-feira, por decisão da Justiça Espanhola. O jogador esteve envolvido no "Caso Osasuna", primeiro escândalo de manipulação de resultados descoberto no futebol espanhol. A informação foi veiculada em diversos veículos de imprensa da Espanha.

O "Caso Osasuna" aconteceu no final da temporada 13/14. A Justiça Espanhola descobriu que dirigentes do Osasuna pagaram 600 mil euros aos jogadores do Bétis, entre eles Xavi Torres, para vencerem o Valladolid na penúltima rodada da La Liga e facilitarem o trunfo da equipe na partida final.

+ Possível último duelo entre Messi e Cristiano Ronaldo rendeu memes na web; veja

Xavi Torres, de 36 anos, se destacou na base do Villareal e acertou com o Barcelona B em 2007. Sem muito destaque no clube catalão, rodou o futebol espanhol durante várias temporadas, passando por times como Málaga, Bétis e Getafe. O atleta também atuou em equipes da Austrália e dos Emirados Árabes Unidos.

Desde 2020, Torres estava no Lugo, da segunda divisão espanhola. Agora, o atleta aguarda tentativa de recurso para tentar anular o afastamento do futebol e seguir jogando pela equipe.