Ex-executivos da Fox conspiraram para subornar dirigentes da Fifa, diz testemunha de acusação

Logo da Fifa perto da sede da entidade em Zurique, na Suíça

Por Jack Queen

NOVA YORK (Reuters) - Um empresário argentino afirmou nesta quarta-feira, em depoimento, que dois ex-executivos da 21st Century Fox e uma empresa de marketing esportivo conspiraram com ele para subornar dirigentes do futebol sul-americano e garantir lucrativos direitos de transmissão.

Alejandro Burzaco se declarou culpado em 2015 de extorsão e outras acusações como parte de uma extensa investigação de corrupção nos mais altos escalões do futebol mundial.

Ele disse aos jurados no tribunal federal do Brooklyn, nesta quarta-feira, que Hernán López, Carlos Martínez e o Full Play Group SA pagaram subornos para garantir contratos com valores abaixo do mercado, suprimir a concorrência e cultivar relacionamentos com executivos de elite.

Burzaco disse que ele, López e Martínez pagaram juntos até 32 milhões de dólares em propinas. O Full Play Group pagou ou se comprometeu a pagar até 90 milhões de dólares, disse.

“Os subornos cumpriram esse propósito extremamente bem”, disse Burzaco, acrescentando que os benefícios para a Fox foram “imensos” e ajudaram os réus a transformar o negócio sul-americano de transmissão da empresa em um centro lucrativo.

A Walt Disney Co comprou a maior parte da 21st Century Fox em 2019. A Disney não é ré no processo, e um representante da empresa não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

López, Martínez e o Full Play Group se declararam inocentes de crimes como fraude eletrônica e lavagem de dinheiro.

O caso decorre de uma investigação mais ampla que levou a mais de duas dúzias de condenações desde que os promotores federais dos EUA revelaram as acusações pela primeira vez em 2015.