Ex-Corinthians, goleiro Ivan defende dois pênaltis em jogo com briga generalizada na Rússia


Após empate sem gols entre Zenit e Spartak Moscou, pela Copa da Rússia, as duas equipes decidiram a partida nos pênaltis. Nas cobranças, o goleiro Ivan, que está emprestado pelo Corinthians ao time de São Petesburgo, foi o herói, defendeu duas penalidades e sua equipe venceu a disputa por 4 a 2, garantindo a classificação.

> Paulinho fica mais perto de clube do Brasil: veja 10 brasileiros que estão com pouco espaço na Europa

- Mantive a concentração porque sabia que iam precisar de mim no pênaltis. Foi um jogo muito difícil, até mesmo pela rivalidade que existe entre os times e isso foi bem mostrado em campo. Partida dura, com briga, fiz o possível somente para separar porque sabia que não pode prejudicar minha equipe sendo expulso - disse o goleiro, sobre a classificação do Zenit.



A briga a qual se refere Ivan foi entre jogadores das duas equipes, durante os acréscimos do segundo tempo. O estopim foi o desentendimento de Wilmar Barrios, do Zenit, com Promes, do Spartak. Rodrigão, companheiro do colombiano Barrios, acertou um chute no holandês do time adversário e foi desencadeada uma pancadaria generalizada.

O resultado final foi o de seis expulsões: Malcom, Rodrigão e Barrios, do Zenit, e Sobolev, Selikhov e Nicholson, do Spartak Moscou.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.


Foi nesse contexto que Ivan foi o salvador do Zenit nos pênaltis. Segundo o goleiro, ele tentou "apaziguar" os ânimos e focar na classificação.

- Tentei só apaziguar e nos pênaltis fui feliz e consegui ajudar. Jogo importante para mim e para o time - completou.

Ivan - Zenit
Ivan - Zenit

Ivan hoje atua no Zenit (Foto: Divulgação/Zenit)

O goleiro está emprestado ao time russo até junho do ano que vem. A negociação entre Corinthians e Zenit envolveu a vinda de Yuri Alberto para o Timão por empréstimo e, além de Ivan ir para o time do leste europeu, Gustavo Mantuan — que marcou gol de pênalti na disputa — também foi cedido pelo clube paulista.