Ex-companheiro de Alonso e Hamilton descreve espanhol como mais implacável e inglês mais educado

Sergio Lillo
motorsport.com

Heikki Kovalainen foi companheiro de equipe de Fernando Alonso na temporada 2006, quando trabalhou como piloto de testes da Renault na Fórmula 1. De fato, foi ele quem substituiu o espanhol, quando partiu para a McLaren na temporada de 2007.

Mais tarde, em 2008, ele substituiria o espanhol, desta vez na equipe de Woking, após a batalha explosiva entre Alonso e Hamilton, que deixou o título nas mãos de Kimi Raikkonen.

O editor recomenda:

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Ex-chefe da Ferrari: volta de Alonso traria "outro nível" à F1Ex-companheiro de Hamilton revela aposta que mostrou alto nível de inglêsVÍDEO: Entenda o que há de verdade na possível volta de Alonso à F1

Tendo trabalhado com os dois pilotos, Kovalainen deixa claro que ambos eram "extremamente rápidos", mas que Alonso era mais "agressivo" e "direto".

"Quanto à sua personalidade e como eles são pilotos, eles obviamente são extremamente rápidos e muito bons em trabalhar com os engenheiros e com toda a equipe. E ambos são muito ativos em dar feedback à fábrica e isso é algo que sempre ignorei na minha carreira esportiva", disse o finlandês no podcast oficial da F1.

"Por exemplo, me lembro que fiz um teste e o ajustador do distribuidor de freio - que ainda era muito manual naqueles dias - havia sido movido para outro lado do cockpit. Lewis queria colocá-lo em outro lugar, então eles mudaram nos dois carros, para ter as mesmas peças e assim por diante. Eu não tinha ouvido nada. Não pensei nessas coisas, mas os dois prestaram atenção até nos mínimos detalhes."

"A atenção aos detalhes, a capacidade de trabalhar não apenas com o engenheiro de pista, mas com toda a equipe, bem como com os engenheiros da fábrica, lhes deram uma vantagem ao longo dos anos".

Quando perguntado quem melhor gerenciou a pressão, Kovalainen deixa claro que é difícil compará-las, mas Alonso tinha um estilo muito mais direto quando se tratava de pedir coisas à equipe.

"É difícil dizer. Os dois conseguiram reagir muito bem à pressão. Eu diria que Fernando, ao longo de toda a sua carreira, quando eu estava com ele pelo menos era assim, talvez fosse mais implacável, você sabe, ele sempre carregava coisas até o limite e usou certos jogos mentais estúpidos", diz ele.

"Mas quando Lewis era mais jovem, ele também o fazia isso às vezes. Certamente, ao longo dos anos, ele se tornou, talvez ele esteja mais confiante em sua velocidade absoluta hoje.”

"Eu diria que Fernando sempre foi muito agressivo, muito implacável e foi muito direto com seus comentários à equipe. Lewis sempre foi mais educado, mesmo quando não estava satisfeito com as coisas, quando precisava de algumas mudanças, fazia de uma maneira mais educada. Fernando era mais direto.”

"Lewis estava com a McLaren e Ron [Dennis] há anos e você podia ver um pouco do comportamento de Ron em Lewis, e da mesma maneira que você viu um pouco do comportamento de Flavio [Briatore] em Fernando, mas acho que é muito difícil comparar quem era melhor sob pressão. Acho que os dois são realmente bons, realmente excelentes. Não quero dizer qual foi o melhor. Acho que não é justo compará-los."

Prost na Ligier? Alonso na Jaguar? Relembre os ‘namoros’ mais bizarros da F1

PODCAST: Entrevista com Rubens Barrichello: os bastidores da carreira do recordista de provas da F1

Your browser does not support the audio element.

Leia também