Ex-campeão de MMA, Gesias Cavalcante é o novo líder da divisão de grappling da TGM Management

·3 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.


Gesias Cavalcante escreveu o seu nome na história do MMA mundial ao conquistar os cinturões do K1-Heroes - e agora pretende ir além. O carioca de 38 anos aceitou o convite de liderar a divisão de grappling da TGM Management, empresa que vem se destacando cada vez mais no cenário de gerenciamento de carreira de atletas.

Atualmente morando nos EUA, Gesias também ocupará o cargo executivo de diretor da divisão de MMA dos novos talentos internacionais na empresa. Deste modo, ele será peça-chave no planejamento de expansão mundial que a TGM pretende fazer no próximo ano.

“Estou confiante, pois a TGM está fazendo um trabalho sério, com muito profissionalismo e está com planos de investir ainda mais no grappling em 2022. Então me senti muito honrado com o convite para liderar a divisão de gerenciamento de carreira dessa modalidade na empresa”, contou.

A TGM Management cuida da carreira de atletas de ponta do MMA mundial, como a campeã do Bellator Juliana Velasquez e o lutador do UFC Felipe ‘Cabocão’. Com Gesias no time, a empresa agora planeja investir pesado em montar um time forte de grappling - o jiu-jitsu sem quimono -, esporte que está crescendo cada vez mais no cenário mundial.

“O grappling é o esporte que eu amo, que me ajudou a crescer, a me mudar para os EUA e que me deu uma base muito sólida para lutar MMA. Enxerguei essa parceria com a TGM como uma oportunidade para retribuir a esse esporte que me proporcionou tanto, além de acreditar que existe um mercado gigante para o desenvolvimento dessa modalidade”, explicou Gesias.

“Vejo o grappling crescendo cada vez mais com o passar do tempo, porque o jiu-jitsu de quimono é mais difícil para o público leigo entender. E aqui nos EUA já existe a cultura do wrestling, que é esporte olímpico, então acho que o grappling tem muito o que crescer, podendo chegar às olimpíadas”, completou.

Exemplo do crescimento do grappling é o Fury 3, evento previsto para o dia 30 de dezembro, na Filadélfia (EUA). Diversos atletas renomados estão escalados no card, como a campeã do UFC Rose Namajunas, o veterano Donald Cerrone e o brasileiro Joaquim Silva, o ‘Netto BJJ’, que foi escalado no evento por intermédio de Gesias, que já está mostrando trabalho.

O Fury 3 terá transmissão ao vivo do UFC Fight Pass, plataforma de streaming da maior organização de MMA do mundo. E isso só comprova que o grappling é realmente um esporte em ascensão. E, assim como Gesias e a TGM, a companhia presidida por Dana White também já está de olho na audiência crescente do esporte.

“É uma luta livre, mas, diferentemente do MMA, não tem soco, não tem chute… A gente chama de luta livre esportiva, que é só a parte da luta agarrada. Hoje em dia, com a liberação de novos golpes como a chave de pé e de calcanhar gerou um ‘boom’ muito grande e isso vai gerar maior número de finalizações e ficar ainda mais fácil de entender, porque quem bateu, bateu, não tem muita discussão por que foi desclassificado, facilita esse entendimento do público”, ressaltou Cavalcante, que também é conhecido como ‘JZ’.

“Agora é a hora do grappling crescer e estamos na dianteira, sendo visionários do esporte, porque tenho certeza que dentro de poucos anos o esporte estará estará em um nível gigantesco”, concluiu.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos