Eurocopa é adiada para 2021 em função do coronavírus

AFP
A Uefa anunciou também a criação de um grupo de trabalho com representantes dos campeonatos e dos clubes para "analisar soluções em matéria de calendário que permitam a conclusão da temporada em andamento"
A Uefa anunciou também a criação de um grupo de trabalho com representantes dos campeonatos e dos clubes para "analisar soluções em matéria de calendário que permitam a conclusão da temporada em andamento"

A Eurocopa, inicialmente prevista para ser disputada em doze países da Europa entre junho e julho, foi adiada para 2021 devido à pandemia do coronavírus, algo inédito em 60 anos de existência da competição, anunciou nesta terça-feira (17) a Uefa.

"A Euro-2020 seria organizada em doze cidades através da Europa entre 12 de junho e 12 de julho de 2020. Propomos que aconteça entre 11 de junho e 11 de julho de 2021", escreveu a entidade que rege o futebol europeu em comunicado.

"A saúde de todas as pessoas envolvidas em nossa disciplina é a prioridade", continuou a Uefa. "Esta mudança contribuirá para permitir que se concluam as competições nacionais, atualmente paradas pela urgência ligada ao Covid-19".

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

- Grupo de trabalho -

Este adiamento de um ano da 16ª edição da Eurocopa, organizada a cada quatro anos sem exceção desde 1960, deverá permitir que a Liga dos Campeões, a Liga Europa e os campeonatos nacionais de clubes, suspensos por causa da propagação do vírus, encontrem datas no calendário para que tenham um desfecho.

A Uefa anunciou também a criação de um grupo de trabalho com representantes dos campeonatos e dos clubes para "analisar soluções em matéria de calendário que permitam a conclusão da temporada em andamento".

Em comunicado, o presidente da Federação Francesa de Futebol, Noël Le Graët, elogiou a decisão "sabia e pragmática" da Uefa, que permite "tentar terminar os campeonatos nacionais profissionais e amadores que poderão ser prolongados até junho".

A Associação Europeia de Clubes (ECA) apoiou a decisão da Uefa.

Os grupos nacionais de torcedores, representados pela rede Football Supporters Europe (FSE), também felicitou a Uefa pelo adiamento que "limitará o impacto econômico dos torcedores", classificando a decisão de "clara e oportuna".

Esta decisão radical parecia inevitável devido à propagação do coronavírus na Europa, novo epicentro da pandemia que se originou na China em dezembro.

Na Itália, onde seria disputada a partida de abertura da Eurocopa, em Roma em 12 de julho, o vírus já deixou mais de 2.000 mortos. A Espanha, outro país-sede, soma 500 falecidos.

Nesta crise sanitária global, o coronavírus já causou pelo menos 7.063 mortes desde sua aparição em dezembro, segundo balanço estabelecido pela AFP a partir do relato de fontes oficiais.

Com as medidas de confinamento nos países e o fechamento de fronteiras, "a Uefa não tem escolha, tem que adiar a Eurocopa ou a Liga dos Campeões", havia afirmado uma personalidade do futebol mundial antes da decisão da entidade.

Com esta proposta de adiamento, a Uefa descarta a opção de uma Eurocopa disputada sem público nos estádios ou de um cancelamento do evento, o que teria privado a confederação europeia de uma importante receita com direitos de transmissão.

- Mesma data que a Copa América -

Em 2016, a Eurocopa gerou mais de um bilhão de euros em direitos de transmissão, segundo a Uefa, e um valor de negócio total de 1.92 bilhão de euros.

Em comparação, o adiamento da Eurocopa custará à Uefa cerca de 300 milhões de euros, segundo um especialista de marketing esportivo entrevistado pela AFP.

O adiamento tornará o já sobrecarregado calendário internacional num verdadeiro quebra-cabeças: a Eurocopa coincidirá em 2021 com o Mundial de Clubes, programado para ser disputado na China pela Fifa, que esperava grandes receitas com a competição.

"Quero agradecer à Fifa e ao seu presidente, Gianni Infantino, que indicaram que farão todo o possível para fazer funcionar esse novo calendário", declarou no comunicado da Uefa o presidente da entidade, Aleksander Ceferin.

Minutos antes da decisão anunciada pela Uefa, a Conmebol informou que a Copa América-2020, que seria disputada em conjunto entre junho e julho na Argentina e na Colômbia, foi adiada para o ano que vem.

O torneio, que pela primeira será disputado em dois países, foi reagendado para ser disputado entre 11 de junho e 11 de julho de 2021, as mesmas datas da Eurocopa.

Leia também