EUA protestam contra transferência da estrela do basquete Griner para colônia penal russa

Brittney Griner foi detida na Rússia

Por Humeyra Pamuk

WASHINGTON (Reuters) - Autoridades russas transferiram na semana passada a estrela de basquete norte-americana Brittney Griner de um centro de detenção nos arredores de Moscou, e agora a atleta está a caminho de uma colônia penal não revelada, disseram sua equipe jurídica e o principal diplomata de Washington nesta quarta-feira.

A duas vezes medalhista de ouro olímpica foi presa em 17 de fevereiro, uma semana antes de a Rússia invadir a Ucrânia, em um aeroporto de Moscou, com cartuchos de vape contendo óleo de cannabis, que é proibido na Rússia, em sua bagagem.

O secretário de Estado dos Estados Unidos, Antony Blinken, disse em um comunicado nesta quarta-feira que Griner está sendo transferida para uma "colônia penal remota" e que os Estados Unidos esperam que as autoridades russas forneçam aos funcionários da embaixada acesso a Griner e outros norte-americanos detidos na Rússia.

"Nós protestamos fortemente contra o movimento de Brittney Griner para uma colônia penal remota e o uso de detenções injustas pelo governo russo", disse Blinken em uma publicação no Twitter.

Griner, de 32 anos, foi sentenciada em 4 de agosto a nove anos em uma colônia penal sob a acusação de posse e contrabando de drogas. Ela se declarou culpada, mas disse que cometeu um "erro honesto" e não pretendia infringir a lei.

Ela foi transferida de um centro de detenção perto da capital russa em 4 de novembro para ser levada para uma colônia penal, mas nem sua localização atual nem seu destino final são conhecidos, disse sua equipe jurídica em comunicado.

De acordo com os procedimentos russos, os advogados dela e a Embaixada dos EUA deveriam ser notificados sobre sua chegada, mas que levará até duas semanas para que isso aconteça.

No final de julho, o governo Biden propôs uma troca de prisioneiros com a Rússia para garantir a libertação de Griner, bem como a do ex-fuzileiro naval dos EUA Paul Whelan, mas disse que Moscou ainda não respondeu positivamente à oferta.

Os advogados de Griner ainda não disseram se tentarão um novo recurso contra sua condenação depois que um tribunal russo rejeitou uma tentativa de apelação em 25 de outubro.

(Reportagem adicional de Mark Trevelyan, Filipp Lebedev, Doina Chiacu e Susan Heavey)