Etapa do Mundial de Surfe é cancelada pela ameaça de tubarões

Yahoo Esportes
<em>A organização cancelou o restante do evento em Margaret River por conta da ameaça de ataques de tubarões aos surfistas (Getty Images)</em>
A organização cancelou o restante do evento em Margaret River por conta da ameaça de ataques de tubarões aos surfistas (Getty Images)

Por Guilherme Daolio

A terceira etapa do Mundial de Surfe não terminou e não terminará. A organização cancelou o restante do evento em Margaret River por conta da ameaça de ataques de tubarões aos surfistas.

Você já viu o novo app do Yahoo Esportes? Baixe agora!

Nos últimos dias, aconteceram dois ataques em locais muito próximos ao da competição. Os brasileiros Gabriel Medina e Italo Ferreira foram os primeiros a reclamar publicamente da falta de segurança no local. Alguns outros integrantes da Tempestade Brasileira também demonstraram preocupação em suas redes sociais.

Nesta terça-feira (manhã de quarta na Austrália), a organização do evento reuniu os atletas para decidir se continuariam ou não com o campeonato. Segundo comunicado da própria entidade, “o evento foi cancelado visando a segurança dos atletas pelo alto risco da presença de tubarões nesta semana na costa ocidental da Austrália”.

Apenas as duas primeiras fases da etapa haviam sido disputadas entre os homens. Os 24 surfistas que iriam disputar a terceira fase saem com a 13ª colocação, somando 1.665 pontos no ranking mundial. Os outros 12 atletas terminam com a 25ª e última posição e levam 420 pontos. No feminino, a competição parou nas quartas de final.

Entre os 11 brasileiros que participaram da etapa, apenas três não passaram pela segunda fase: Ian Gouveia, Tomas Hermes e Miguel Pupo. Entre os classificados para a o Round 3 estão Italo Ferreira, Gabriel Medina, Filipe Toledo, Adriano de Souza, Michael Rodrigues, Willian Cardoso, Jessé Menses e Yago Dora.

<em>A organização cancelou o restante do evento em Margaret River por conta da ameaça de ataques de tubarões aos surfistas (Getty Images)</em>
A organização cancelou o restante do evento em Margaret River por conta da ameaça de ataques de tubarões aos surfistas (Getty Images)

:: TUBARÕES DO OESTE SELVAGEM ::

Sempre divulgado pela própria WSL como o lado mais selvagem dessa parte australiana do tour, a etapa já entrou e saiu do calendário diversas vezes. Até 2017 era a “caçula” entre os palcos de disputa, pois só voltou à programação em 2014. Uma coincidência cruel com o ano em que começaram a aumentar o número de incidentes com tubarões. Entre 2000 e 2010 a média era de 4,4 ataques por ano. Em 2013 foram registrados 8 acidentes e este número pulou para 15 em 2014.

(FONTE: Shark Attack Data / Shark Research Institute)
(FONTE: Shark Attack Data / Shark Research Institute)

Soma-se o fato de que a Austrália é líder em vítimas fatais nesses casos e temos um grande e já antigo problema. Para os brasileiros, as primeiras reclamações surgiram em 2016, pelo relato de Caio Ibelli:

Estávamos todos à espera de mais uma onda e conversando de costas viradas para o oceano. Quando me virei, vi um tubarão enorme, não muito longe de nós. Avisei a todos e começamos a remar super rápido. Pegamos todos a mesma onda, exceto o Leo que ficou para trás, e pegou a onda a seguinte. Estávamos todos muito assustados.”– Entrevista de Caio Ibelli a SurfLine

Segundo a CEO da organização Sophie Goldschmidt, “tubarões são, ocasionalmente, uma realidade dos competidores da WSL e do surfe em geral”. No entanto, o crescimento de incidentes na Austrália acende um sinal de alerta para competições na região

:: CAMISA (VERDE E) AMARELA ::

Com a pausa na terceira fase, Italo Ferreira segue dividindo a liderança com o australiano Julian Wilson. Com os sete primeiros do ranking já classificados para um round 3, não houve alterações nesta parte da tabela. Entre os brasileiros, Gabriel Medina segue em 7º, Filipe Toledo subiu para 9º e Adriano de Souza para 10º.

(Reprodução / WSL)
(Reprodução / WSL)

Depois de três etapas na Austrália, o Mundial de Surfe vem para o Brasil. As ondas de Saquarema, no Rio de Janeiro, receberão a quarta das 11 etapas da competição entre os dias 11 e 20 de maio. Você acompanha todas as notícias do surfe aqui no Yahoo!


Leia também