Etapa da divisão de acesso em Noronha já tem mais de 100 inscritos

Jadson André foi o campeão em 2019, em final brasileira contra Yago Dora. (Instagram/HangLooseBrasil)
Jadson André foi o campeão em 2019, em final brasileira contra Yago Dora. (Instagram/HangLooseBrasil)


Se o Campeonato Mundial de Surfe só começa no fim de março, em Gold Coast, na Austrália, a corrida na divisão de acesso para garantir um lugar na elite em 2021, já começou. O primeiro evento do ano na América do Sul vai acontecer na praia da Cacimba do Padre, em Fernando de Noronha, em Pernambuco. O Hang Loose Pro Contest vai para a sua trigésima terceira edição e ocorre entre os dias 11 e 16 de fevereiro.

A etapa brasileira dá ao vencedor 5.000 pontos no ranking, sendo essa a segunda maior pontuação (as etapas ''prime'' garantem 10.000 pontos). Até o momento, mais de 100 surfistas estão inscritos, entre eles os dois finalistas do ano passado, o potiguar Jadson André, que foi o campeão, e o paranaense Yago Dora, vice.

O surfista do Rio Grande do Norte, vice-campeão da divisão de acesso em 2019, não é o único brasileiro a brigar pelo bicampeonato no arquipélago pernambucano. Alejo Muniz, em 2011, e Miguel Pupo, 2012, já levantaram o título da etapa sul-americana mais tradicional.

Outros brasileiros como Willian Cardoso, Jessé Mendes, Ian Gouveia e Wiggolly Dantas, todos ex-integrantes da elite do surfe mundial, estarão presentes. Entre os estrangeiros, a França é o país com mais representantes: 12. O ex-top Joan Duru lidera a equipe francesa.






Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também