Estudo encontra substância tóxica em embalagens do McDonald’s e Burger King

Marcus Couto
·2 minuto de leitura
Substâncias tóxicas foram encontradas em embalagens do Burger King e McDonald's. (Foto: REUTERS/Kai Pfaffenbach)
Substâncias tóxicas foram encontradas em embalagens do Burger King e McDonald's. (Foto: REUTERS/Kai Pfaffenbach)

Um novo estudo publicado nesta semana por grupos de vigilância ambiental nos Estados Unidos revelou a existência de substâncias químicas tóxicas, ligadas à degeneração do fígado e ao desenvolvimento de câncer, em embalagens de grandes redes de fast-food, entre elas o McDonald’s e o Burger King. As informações são do site Business Insider.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

A pesquisa encontrou em embalagens de sanduíches e batatas fritas compostos perfluoroalquil, ou PFAS na sigla em inglês. Utilizados nos revestimento de superfícies para aumentar sua resistência a água e a gorduras, esses elementos têm o apelido de “químicos eternos” por conta de sua persistência.

Leia também

Estima-se que essas substâncias estão na corrente sanguínea de quase toda a população americana, por conta de seu amplo uso na indústria. A contaminação ocorre justamente no contato com alimentos e bebidas com a presença desses tóxicos.

Na pesquisa apresentada nesta semana, foram encontrados indícios da presença desses químicos em pacotes de batas-fritas e de sanduíches dessas grandes cadeias de restaurante fast-food.

Após a divulgação dos resultados do levantamento, tanto o McDonald’s e quanto o Burger King se manifestaram, comprometendo-se a reavaliar os processos de produção de suas embalagens para garantir a segurança dos consumidores. Nos Estados Unidos, a FDA, agência que regulamenta esse mercado, anunciou esforços no sentido de cobrar uma diminuição no uso de PFAS na indústria da alimentação.

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube