Estrela do vôlei nos anos 1980, Isabel Salgado morre aos 62 anos em São Paulo

SÃO PAULO/RIO DE JANEIRO (Reuters) - A ex-jogadora de vôlei Isabel Salgado, de 62 anos, morreu nesta quarta-feira, informaram o Comitê Olímpico do Brasil e a assessoria de imprensa de Carol Solberg, filha de Isabel, dois dias depois de a ex-jogadora ser anunciada como integrante do gabinete de transição do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva, que lamentou a morte.

"Isabel Salgado. Um dos maiores nomes do esporte brasileiro nos deixou aos 62 anos... Craque dentro e fora das quadras. Vai fazer muita falta", disse o COB em seu perfil na rede social.

A assessoria de imprensa de Carol Solberg, que é atleta do vôlei de praia, também confirmou a morte de Isabel e disse que o funeral será realizado na quinta-feira no Rio de Janeiro, cidade onde ela nasceu e iniciou a carreira.

"Agradecemos a solidariedade e pedimos a compreensão de todos neste momento difícil para familiares e amigos", disse a assessoria de imprensa de Carol Solberg.

Isabel estava internada no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, de acordo com uma fonte com conhecimento do assunto que pediu para não ser identificada, e morreu nesta manhã. A causa da morte não foi informada.

Ícone do vôlei feminino brasileiro, Isabel defendeu a seleção brasileira nas Olimpíadas de 1980, em Moscou, e 1984, em Los Angeles. Também foi uma das pioneiras do vôlei de praia no país e dois de seus filhos atuam atualmente nas areias --além de Carol Solberg, Pedro Solberg também é atleta--, e uma terceira, Maria Clara, é jogadora aposentada.

Fora das quadras, Isabel também sempre foi uma voz política ativa e, nesta semana, foi nomeada como integrante da transição de governo para temas esportivos.

Lula, que está no Egito para a conferência climática da Organização das Nações Unidas (ONU) COP27, lamentou a morte da ex-jogadora.

"Isabel Salgado não foi apenas um símbolo para o esporte, mas também de luta na defesa de seus ideais. Seu pioneirismo no esporte abriu as portas para muitas brasileiras. Suas conquistas levaram o Brasil a outro patamar na história do vôlei feminino", disse o presidente eleito em publicação acompanhada de uma foto sua ao lado de Isabel.

"Uma referência tanto na quadra quanto na praia, foi convidada a integrar o Grupo Técnico de Esporte no Gabinete de Transição por sua competência como atleta e voz ativa por um país mais justo. Meus sentimentos e solidariedade aos filhos, netos, familiares e admiradores de Maria Isabel Barroso Salgado, nossa eterna Isabel do Vôlei."

A também ex-jogadora de vôlei Ana Moser, também nomeada para a equipe de transição de Lula, foi outra a lamentar a morte de Isabel.

"Perda irreparável, Isabel Salgado. Meus profundos sentimentos a todos os familiares e amigos. Luto", escreveu.

(Reportagem de Eduardo Simões e Rodrigo Viga Gaier)