Estrela do MMA Nurmagomedov pede "disciplina" para combater coronavírus no Daguestão

AFP
O russo Khabib Nurmagomedov, esrela do MMA, em coletiva de imprensa em 26 de novembro de 2018, em Moscou
O russo Khabib Nurmagomedov, esrela do MMA, em coletiva de imprensa em 26 de novembro de 2018, em Moscou

A estrela russa do MMA Khabib Nurmagomedov pediu aos habitantes do Daguestão, sua região natal onde a epidemia de coronavírus está fora de controle, que respeitem as regras de confinamento, no momento em que seu pai está internado no hospital respirando por aparelhos.

"Precisamos hoje, mais do que nunca, estar unidos. Mostrar nossa coragem, nosso caráter, nossa disciplina", declarou o campeão linear do peso-leve do UFC em vídeo publicado nesta terça-feira (19) no Instagram, afirmando que "a situação é muito difícil no Daguestão".

"Os hospitais estão cheios, muita gente está doente, muitos morreram", afirmou o lutador, seguido por cerca de 20 milhões de pessoas no Instagram. Nurmagomedov pediu para que a população "escute os médicos", porque "só o confinamento pode solucionar o problema".

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

O pai e técnico de Khabib Nurmagomedov, Abdulmanap, está hospitalizado em Moscou desde a semana passada "em estado muito grave", revelou o filho.

A gravidade da situação no Daguestão, uma das divisões federais da Rússia, vem piorando nas últimas semanas. Na segunda-feira (18), as autoridades da região admitiram uma "catástrofe" e reconheceram lidar com centenas de mortes devido ao coronavírus. Oficialmente, a região conta com apenas 3.460 casos e 29 mortes provocadas pelo vírus.

"Eu tenho pessoalmente mais de 20 pessoas, familiares, gente próxima, que estão sob cuidados intensivos. Muitos já não estão mais entre nós", revelou o lutador, um ídolo no Daguestão.

"Há alguns meses, quando estava começando, ninguém no Daguestão acreditava no coronavírus. Quando disseram: 'fiquem em casa', as pessoas acharam que muitos tirariam vantagem disso e não respeitaram. Não sei quem se beneficiou. Todo mundo ficou doente", continuou.

Assim como as autoridades russas, Nurmagomedov pediu aos habitantes do Daguestão, majoritariamente muçulmano, que ficassem em casa para celebrar o fim do Ramadã, neste fim de semana.

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, prometeu enviar mais ajuda ao Daguestão.

Leia também