Estrela da natação revela que passou por depressão após sucesso em Tóquio

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Caeleb Dressel é uma das estrelas da seletiva americana para o Mundial. Foto: Grant Halverson/Getty Images
Caeleb Dressel é uma das estrelas da seletiva americana para o Mundial. Foto: Grant Halverson/Getty Images

Caeleb Dressel, que se classificou nesta quarta-feira (27) nas seletivas americanas para nadar uma segunda prova no Mundial do próximo verão, sofreu uma depressão após a disputa nas Olimpíadas de Tóquio, onde conquistou cinco medalhas de ouro.

A estrela da natação masculina americana contou as dificuldades pelas quais passou em uma entrevista em vídeo ecoada pelo jornal USAToday. Nela, o nadador conta que se sentiu "muito perdido" nos meses que se seguiram aos Jogos de Tóquio.

Leia também:

Seu estado de angústia cresceu a ponto de passar boa parte do dia de Natal chorando por não conseguir encontrar uma maneira de direcionar sua vida. "Precisava de ajuda, para falar sobre isso com as pessoas. Senti-me tão perdido que queria sair da água, o único lugar onde me sinto confortável. Foram alguns meses muito desagradáveis", disse.

Apesar de ser o grande vencedor da natação masculina em Tóquio, Dressel ficou com um sentimento de insatisfação por não ter alcançado os tempos que almejava. Entre suas marcas em Tóquio, ele destacou o recorde mundial dos 100 metros borboleta.

"Não foi justo comigo mesmo. Ganhei cinco medalhas de ouro na competição mais importante e fiquei com a sensação de que deveria ter sido mais rápido em certas provas".

Esse foi o motivo de sua saída inesperada da Liga Internacional de Natação (ISL). "Precisava de uma pausa, embora tenha sido mais longa do que o planejado", reconhece. Agora, de volta à competição nos 'trials' americanos, diz que se sente "em boas condições neste ambiente".

No segundo dia das seletivas americanas, Dressel venceu a prova de 50 metros borboleta com três centésimos de diferença sobre seu companheiro de equipe olímpica Michael Andrew (22,84). É a segunda prova em que se classifica para o Campeonato do Mundo depois de o ter garantido vaga nos 100 metros livres.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos