Estados Unidos começam como favoritos para suceder a Rússia da Copa Billie Jean King de tênis

Sem a Rússia, atual campeã do torneio, mas ausente nesta edição por motivos políticos, a seleção dos Estados Unidos é a principal favorita para conquistar a Copa Billie Jean King (equivalente à Copa Davis no tênis feminino), que será disputada de 8 até 13 de novembro em Glasgow, na Escócia

Em quadras cobertas e duras, a capitã americana Kathy Rinaldi vai comandar a equipe com mais estrelas, com destaque para a presença de Coco Gauff (N.4 do mundo), Madison Keys (N.11) e Danielle Collins (N. 14).

Jessica Pegula (N.3), vencedora do WTA 1000 em Guadalajara, deveria liderar a equipe americana, mas sua desistência foi confirmada nesta segunda-feira, apenas um dia antes do início da competição e apenas alguns dias após sua eliminação na fase de grupos do WTA Masters em Fort Worth (Estados Unidos).

Gauff, por sua vez, disputou sua primeira final de Grand Slam (em Roland Garros em maio) e foi eliminada em três quartas de final (US Open, San Diego e Guadalajara), sendo eliminada do Masters na fase de grupos como sua compatriota.

Keys começou o ano muito forte com um título em Adelaide e as quartas de final no Aberto da Austrália, onde sua parceira Collins chegou à final, eliminando a polonesa Iga Swiatek nas semifinais.

Esta última se tornou a número 1 indiscutível após a surpreendente aposentadoria da australiana Ashleigh Barty, que em março anunciou que estava pendurando sua raquete apesar de ter apenas 25 anos.

Swiatek teve uma temporada muito marcante, com oito títulos conquistados em 2022 (dos 11 que tem em sua carreira), mas desistiu de defender as cores de seu país nesta fase final da Billie Jean King Cup. Com isso a Polônia será liderada por Magda Linette (N.51).

Assim como acontece com os Estados Unidos e a Polônia, a República Tcheca, terceira equipe do temível grupo D, também não poderá contar com a sua N.1, Petra Kvitova (N.16), mas terá uma equipe muito forte com Barbora Krejcikova (N. 21) e vencedora de Roland Garros em 2021), Karolina Pliskova (ex-nº 1 e atual nº 32 da WTA, vencedora da Federation Cup, antecessora da Billie Jean King Cup, em 2015) e Katerina Siniakova, que costuma ser parceira de Krejcikova em duplas. Juntas as duas foram vencedoras de seis torneios do Grand Slam, incluindo Austrália, Wimbledon e US Open este ano.

ig/dlo/mcd/aam