Estádio da Copa tem energia cortada por dívidas de quase R$ 40 mi

Arena Amazônia, construída para a Copa do Mundo de 2014, passa por apuros financeiros.

Arena da Amazônia, construída para a Copa do Mundo de 2014, passa por apuros financeiros.
Arena da Amazônia, construída para a Copa do Mundo de 2014, passa por apuros financeiros. Foto: (Buda Mendes/Getty Images)

Construída para a Copa do Mundo de 2014, realizada no Brasil, a Arena da Amazônia teve a sua energia cortada nesta terça-feira por causa de dívidas que ultrapassam o valor de R$ 39 milhões. Sem pagamento desde o ano de 2016, as contas atrasadas fizeram com que a Amazonas Energia, empresa de distribuição de energia do estado, cortassem a luz depois de, segundo nota oficial publicada, inúmeras negociações amigáveis e notificações prévias.

Além da Arena da Amazônia, também foi cortada a luz da Arena Amadeu Teixeira, ginásio poliesportivo utilizado para partidas de basquete, vôlei, futsal e handebol, localizada no mesmo complexo esportivo.

Leia também:

Diversos jogos das quatro divisões do Campeonato Brasileiro foram disputados ao longo dos últimos anos na Arena da Amazônia, além de diversos show e festivais. Está previsto para a Arena, no próximo sábado, às 19h, o jogo entre Nacional e Rio Negro, que marca a estreia do Campeonato Amazonense.

Leia a nota oficial da Amazonas Energia sobre o corte:

"Nesta terça-feira (24), a Amazonas Energia promoveu o corte por débitos da Arena da Amazônia e Arena Amadeu Teixeira, por falta de pagamento de contas de energia elétrica.

Ao todo, a dívida já supera o valor de R$39 milhões para as duas unidades consumidoras, desde o ano de 2016 até o presente ano. Após sucessivas tentativas de negociações amigáveis e com notificação prévia, a Amazonas Energia executou o corte das unidades consumidoras, consideradas serviços não essenciais e, portanto, passíveis de corte, perante a lei.

A Arena da Amazônia, durante todo o ano de 2022, acumulou uma série de eventos realizados, movimentando novamente o local e enchendo o estádio de pessoas sem, no entanto, promover o pagamento das contas de luz mensais, acumulando dívidas mês a mês.

A manobra de corte por inadimplemento, precedida de comunicação, está prevista no art. 360 da Resolução nº 1.000/2021 – ANEEL, sendo enviada de forma escrita ao Governo do Estado".