Estável e coletivo, sim - mas será que o Milan tem tudo o que é preciso para destronar a Juventus?

Nathalia Almeida
·2 minuto de leitura

Você piscou e os principais campeonatos do futebol europeu já estão adentrando o returno. Pois é, acredite se quiser. O Francês terá sua 20ª rodada neste final de semana, ou seja, já passamos da metade da competição. Na Serie A Tim, teremos o desenrolar da 18ª jornada nos próximos dias e, apesar de ainda ser cedo para cravar favoritos, não é prematuro exaltar o que um time específico vem fazendo na atual temporada: o Milan.

Em futebol jogado, nenhuma equipe italiana mostrou mais que o Milan em 2020/21. Muito organizado e disciplinado, o Rossonero começa a colher os frutos de um trabalho que começou em outubro de 2019, quando o clube anunciou a contratação de Stefano Pioli. Não é o trabalho mais longevo da Serie A Tim, afinal de contas, Paulo Fonseca (Roma) e Antonio Conte (Inter) chegaram aos seus respectivos clubes há mais tempo. Mas é o trabalho que precisou de menos tempo para que uma identidade/DNA de jogo fosse construída.

AC Milan v Torino FC - Coppa Italia | Jonathan Moscrop/Getty Images
AC Milan v Torino FC - Coppa Italia | Jonathan Moscrop/Getty Images

O Milan sabe que não tem o melhor/mais profundo elenco da Serie A Tim e, por isso, compensa as 'desvantagens' técnicas com jogo coletivo, entrega tática e muito estudo de cada um de seus rivais de peso. A prova disso é que o time rubro-negro vem fazendo um ótimo papel nos confrontos diretos, tendo perdido apenas para a Juventus nesse primeiro turno. No mais, vitórias contra Lazio, Napoli e Inter de Milão, além de um empate contra a Roma.

Estável, regular e com um time solidário - consciente do que precisa fazer para ser sempre competitivo -, o Milan desponta neste momento como principal candidato a vencer o Scudetto e romper a dinastia da Juventus, que é hoje o perfeito contraste do Rossonero: a Velha Senhora tem os craques, tem um banco muito forte e está habituada a conquistar títulos, mas ainda não tem uma identidade de jogo e se apoia demais nas suas individualidades. O trabalho de Andrea Pirlo ainda engatinha, e isso é uma baita vantagem para os Diavolo.

AC Milan v Juventus - Serie A | Jonathan Moscrop/Getty Images
AC Milan v Juventus - Serie A | Jonathan Moscrop/Getty Images

Em linhas gerais, o Milan tem grande parte dos 'ingredientes' necessários para destronar a rival de Turim, mas precisará jogar bem com as cartas que tem em mãos. Buscar reforços pontuais nesta janela de inverno é importante, e é algo que o próprio clube admite e já vem fazendo, por isso a contratação do volante Soualiho Meïte na última sexta-feira (16) e a busca incessante por mais um zagueiro que qualifique o setor.

Um fator fundamental e que não sabemos se o Rossonero terá no returno do Italiano é a resiliência emocional do time que quer ser campeão: força mental é algo que sobra à Juventus, mas que faltou ao Milan nos últimos anos. A ver.