Estádio do Atlético de Madri bate recorde de público em jogo feminino de clubes

Goal.com

Com mais de 60 mil pessoas no estádio Wanda Metropolitano, em Madri, o jogo entre Atlético de Madrid e Barcelona neste domingo (17) quebrou o recorde de público para um jogo de clubes de futebol feminino. 

Foram exatamente 60.739 espectadores que acompanharam a vitória de 2 a 0 do Barça. Com o resultado, o time catalão diminuiu a diferença do Atlético para 3 pontos. Faltam seis rodadas para o fim da temporada. 

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

O confronto gerava muita expectativa na capital espanhola desde que o Atlético de Madrid disse que iria abrir seu estádio principal para o duelo. Até então a equipe feminina do clube jogava apenas no estádio Cerro de Espino, que tem capacidade para pouco mais de 3 mil pessoas.

A abertura do Wanda Metropolitano para um duelo que valia a ponta da tabela cativou e convenceu a torcida a aparecer para o apoio.

Femenino: Atletico Barcelona
Femenino: Atletico Barcelona

O jogo deste domingo quebrou um recorde que já tinha 99 anos, segundo dados divulgados pelo Atlético de Madrid. O clube diz que o antigo recorde de público para um jogo feminino de clubes era de 1920, quando 53 mil pessoas compareceram ao Goodison Park, casa do Everton em Liverpool, para acompanhar o jogo entre Dick, Kerr's Ladies e Helen's Ladies em 26 de dezembro daquele ano. 

O caso de sucesso de público não é isolado e mostra o crescente interesse pelo futebol feminino. No último ano 51 mil pessoas acompanharam a final da Liga MX, do México, entre Monterrey e Tigres. E 45 mil pessoas foram a Wembley em 2018 para acompanhar a final da FA Cup Feminina entre Chelsea e Arsenal.

Mesmo na Espanha, em 30 de janeiro deste ano, 48 mil pessoas foram ao estádio Nuevo San Mamés para o jogo das quartas de final da Copa da Rainha entre Athletic Bilbao e Atlético de Madrid.  

O recorde para jogos entre seleções ainda é a final da Copa do Mundo de 1999, quando 90.185 pessoas pessoas foram ao Rose Bowl, na região de Los Angeles, para assistir Estados Unidos e Japão.

Leia também