Nada de esporte e estudante de História: a vida de Laís Souza cinco anos após o acidente

Gazeta Press


Cinco anos após o acidente enquanto praticava esqui, Laís de Souza tem uma vida repaginada. A ex-atleta, que no início da carreira competia na ginástica artística, participou do programa Mulheres, da TV Gazeta, nesta quarta-feira. Após a gravação, conversou exclusivamente com a Gazeta Esportiva e contou sobre a vida que leva no momento.

Além de organizar palestras motivação, foco para superar desafios e comprometimento, a ex-ginasta está estudando História na Universidade Estácio de Sá, em Vila Velha, no Espírito Santo, cidade onde vive. No início de 2020, Laís irá se casar com a namorada Paula Alencar, com quem mantém um relacionamento há dois anos.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

“Não tem nada de muito diferente, mas continuo com as palestras e estou estudando História na Estácio. Além disso, me caso agora no começo do ano”, contou a ex-ginasta.

Laís Souza dedica tempo aos estudos e mantém distância do esporte (Foto: Mariana Cavalcanti/ Assessoria FCL)

Desde que sofreu o acidente nas montanhas de Salt Lake City, nos Estados Unidos, em janeiro de 2014, a ex-atleta permaneceu distante dos esportes. Apesar de manter contato com colegas da ginástica e do esqui, Laís revela que não acompanha nada do universo esportivo.

“No momento, zero esporte. Não estou acompanhando, ainda converso com meus amigos do esporte, mas estou totalmente por fora do que está acontecendo”, disse a ex-atleta.

Laís realiza sessões diárias de fisioterapia e, apesar de uma melhora lenta e gradual, consegue observar uma evolução em aspectos específicos por conta da reabilitação. A ex-atleta é tetraplégica e tem mobilidade apenas do pescoço para cima e nos ombros. Laís acredita que o caminho para a recuperação de movimentos passa pelo desenvolvimento de pesquisas sobre o assunto.

“Nada muito visível, mas nos treinamentos é possível ver que estou um pouco melhor com o tronco, que está mais forte. Minha ideia é continuar com os estudos, com as pesquisas, para que eu me dê a possibilidade de voltar com o movimento”, afirmou a ex-ginasta.




Ver essa foto no Instagram





não importa o quanto você bate. mas sim, o quanto consegue apanhar e continuar. o quanto pode suportar e seguir em frente. é assim que se ganha. 🙏✌ #rockbalboa @neymarjr @dodamiranda @estacio_brasil

Uma publicação compartilhada por Lais Souza (@lalikasouza) em 21 de Fev, 2019 às 11:27 PST



De acordo com Laís, o acidente e todas as dificuldades que surgiram em decorrência da limitação de movimentos serviram de aprendizado profundo em sua vida. Com a dependência de cuidados, a ex-atleta teve que desenvolver uma paciência que não tinha antes.

“Eu tive que aprender a ter muita paciência, já que ficar sem movimentos e dependente demais é bem complicado. Ser paciente, trazer coisas boas para o aprendizado, ficar atenta às coisas novas, saber o que está acontecendo fora do Brasil. Tentando me inteirar com as coisas”, finalizou.

Especial para a Gazeta Esportiva*




Leia também