Esporte é ferramenta de transformação social para 88% dos brasileiros, aponta pesquisa

Rayssa Leal teve vida transformada pelo esporte (Pablo Vaz/Divulgação)


Uma pesquisa feita com 1100 brasileiros, incluindo todas as classes sociais e regiões do país, apontou que 88% dos entrevistados consideram o esporte uma ferramenta de transformação social. O estudo foi promovido pelo banco BV, em parceria com o Instituto Mind&Miners, e tem margem de erro de três pontos para mais ou para menos.

Quando perguntados sobre quais as modalidades olímpicas são mais lembradas, os destaques foram vôlei (29%), ginástica (21%), basquete (18%), natação (16%), atletismo (15%), skate (13%), tênis (11%) e surfe (10%). Todas os esportes são apoiados pelo BV por meio de institutos ou atletas de competição.

Em relação aos esportes radicais, a pesquisa identificou que apesar de haver poucos praticantes entre os respondentes, os atribuídos mais admirados relacionados às modalidades são: coragem (38%), ousadia (36%), libertação (20%), energia (26%) e autoconfiança (21%).

- Para o BV, apoiar o esporte está alinhado aos nossos princípios, já que acreditamos que as modalidades esportivas atuam como ferramenta de transformação social. Dos entrevistados, 45% consideram que marcas que apoiam o esporte colaboram para que a sociedade busque nas modalidades esportivas atributos como saúde, criatividade e superação - disse Tiago Soares, gerente executivo de Sustentabilidade e Brand Experience do banco BV.

Outros 35% dos respondentes consideram que o esporte valoriza aspectos como socialização, respeito, cooperação e inserção na sociedade. A pesquisa mostrou também que o esporte gera oportunidades de educação, sendo fundamental para o desenvolvimento de crianças e adolescentes que, em alguns casos, se tornam atletas profissionais. Além disso, 11% dos que responderam à pesquisa acreditam que o esporte amplia a representatividade social e diminui preconceitos raciais e de gênero.