Especialista explica por que o CBD vem se tornando popular entre lutadores de MMA

·2 minuto de leitura


Ainda tabu no Brasil, o canabidiol, mais conhecido como CBD, vem se tornando uma opção terapêutica para a recuperação de atletas de alto rendimento no mundo, como os lutadores de MMA. Disponível em diversas formas, que varia desde óleo até mesmo balas comestíveis, a substância traz diversos benefícios aos praticantes de esportes.

Médico da Ease Labs, laboratório farmacêutico referência no desenvolvimento e produção de produtos à base de cannabis no Brasil, Dr. Pedro Alvarenga listou os principais motivos que levaram o CBD a ser indicado por especialistas em medicina esportiva e, consequentemente, bastante utilizado por lutadores de MMA.

"Estudos comprovam que produtos à base de CBD têm um potencial anti-inflamatório, de recuperação muscular, controle da dor e melhora do sono, benefícios essenciais para a rotina de um lutador, que precisa de um sono reparador e um controle álgico adequado para um treinamento intenso o suficiente para garantir uma boa performance", explica o especialista.

Mas não é só isso. Outro fator positivo do CBD é a possibilidade de proteção contra danos neurológicos, uma das maiores preocupações entre os lutadores de MMA, que passam a carreira sofrendo impactos no crânio. Seu efeito anti-inflamatório tem mostrado em pesquisas científicas proteção neuronal, o que seria um benefício muito importante nessa modalidade de esporte.

Vale destacar que, embora seja proveniente da cannabis sativa, o CBD não possui tetrahidrocanabinol (THC), psicoativo da planta que gera a dependência e euforia. Tanto é que a substância foi retirada da lista de proibições da Agência Mundial Antidoping (WADA). Apesar disso, é necessário acompanhamento médico e prescrição.

"A indicação médica se dá a partir de uma necessidade de tratamento. Um ponto importante para todos, especialmente para os atletas, é procurar por empresas sérias, qualificadas, que tenham um controle rígido de qualidade para não correr o risco de haver traços de THC, que ainda é considerado doping", alerta o Dr. Pedro Alvarenga.

Uma pesquisa realizada no ano passado pelo vice-presidente sênior de Saúde e Desempenho do Atleta do UFC, Jeff Novitzky, mostrou que 80% de um total de 170 lutadores do maior evento de MMA do planeta entrevistados fazem uso de CBD para fins terapêuticos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos