Especial São Januário, 90 anos: Por um estádio que abrigue tantas paixões

Vinícius Faustini

A imensa torcida do Vasco já compareceu várias vezes em peso para apoiar das arquibancadas de São Januário. Porém, com o passar das décadas (especialmente dos anos 2000), a sensação é de que o estádio está cada vez mais acanhado. Devido a questões de segurança (e, segundo a atual diretoria, de problemas do próprio clube), o local vem recebendo bem menos torcedores do que antes:

- À medida que algumas solicitações não são atendidas, automaticamente o Corpo de Bombeiros reduz a capacidade, para melhorar segurança. Isto reduziu o estádio para 21.880 pessoas. Retomamos a boa relação entre o Vasco e o Corpo de Bombeiros e, aos poucos, estamos cumprindo tudo o que eles exigem - afirmou André Luiz Vieira, vice-presidente de Obras de Engenharia e Patrimônio do clube, ao LANCE!.

O maior público oficial de São Januário está registrado na derrota do Vasco para o Londrina por 2 a 0, pelo Brasileirão de 1977, que foi assistida por 40.209 pessoas em 19 de fevereiro de 1978. Na final da Copa Libertadores, contra o Barcelona-EQU, foram 36.273 pagantes, enquanto na decisão contra o São Caetano, marcada pela trágica queda do alambrado na final da Copa João Havelange de 2000, havia 31.761 pagantes. Porém, hoje o clube disponibiliza bem menos ingressos para os torcedores:

- Varia muito de acordo com o apelo da partida. O estádio tem capacidade para em torno de 21 mil pessoas. Em um jogo que esperamos maior número de torcedores, contra um forte adversário, nós estamos atualmente estipulando 18 mil ingressos. Em jogos com menor apelo, que passam à noite e com transmissão da TV, no máximo, deixamos 15 mil bilhetes. Esta variação também deve acontecer no Campeonato Brasileiro - revelou o assessor da presidência, Ricardo Vasconcelos.

Vasconcelos apontou os motivos da mudança drástica de público:

- As normas de segurança ficaram mais rígidas com o passar do tempo. Tivemos de reduzir a capacidade primeiramente para 30 mil pessoas, depois passou a ser necessário o espaço para visitantes. Hoje estamos em torno de 21 mil pessoas, e não podemos deixar todos os ingressos à venda, porque há as gratuidades - declarou o assessor responsável pela organização dos ingressos, em referência ao Estatuto do Torcedor.

A diretoria, porém, tem o plano de voltar a estender o espaço para que torcedores do Vasco possam desfilar suas paixões. De acordo com André Luiz Freitas, a busca é por um aumento de capacidade ainda neste ano:

- O nosso projeto é de que São Januário volte a ter capacidade para receber 30 mil pessoas já no Campeonato Brasileiro. Estamos trabalhamos nisso, fazendo alguns ajustes, como a entrada de alguns geradores, a revisão de para-raios, luz... Alguns portões também foram modificados.

O vice-presidente de Obras e Patrimônio aponta que, aos poucos, São Januário vem tendo algumas mudanças. Segundo ele, o torcedor já poderá ver novidades em breve:

- São Januário é um respeitável senhor de 90 anos que, depois de ficar por algum tempo abandonado, precisa de cuidados. Já estamos fazendo reformas na fachada principal e conseguimos uma coisa importantíssima, que é a retomada do parque aquático. A piscina está cheia, e São Januário já tem melhorias para os vascaínos.

















E MAIS: