Em duelo de times ofensivos, Palmeiras encara Wilstermann pela Libertadores

São Paulo, 14 mar (EFE).- Depois de ter empatado com o Atlético Tucumán em 1 a 1 na Argentina na semana passada, o Palmeiras buscará nesta quarta-feira a primeira vitória nesta edição da Taça Libertadores e terá pela frente o Jorge Wilstermann no Allianz Parque, em jogo que promete colocar frente a frente duas equipes ofensivas.

Com um jogador a menos por cerca de 70 minutos contra o Tucumán fora de casa, o Alviverde empatou em 1 a 1 na estreia no torneio continental. O Wilstermann, por sua vez, largou na frente no grupo 5 ao golear o Peñarol por 6 a 2 em Cochabamba.

O técnico do atual campeão brasileiro, Eduardo Baptista, vem mantendo a escalação em sigilo, em treinos com portões fechados, mas acenou com a possibilidade de escalar três atacantes. A dúvida estar em manter Keno, autor do gol em Tucumán, ou o meia Guerra.

O treinador já testou com sucesso uma equipe mais ofensiva no último sábado, quando levou a melhor no Choque Rei, diante do São Paulo, com um triunfo por 3 a 0.

"O Wilstermann tem dois atacantes rápidos nos contragolpes, e eles precisarão ser neutralizados. A equipe fez seis gols na estreia e já temos uma ideia de como detê-los. Eles se concentram na defesa e saem com velocidade", afirmou Baptista, que acredita que povoar o ataque é uma forma de encurralar o adversário.

A equipe mandante terá apenas um desfalque, o zagueiro Vitor Hugo, que foi expulso com pouco mais de 20 minutos de partida na Argentina. Dessa forma, Edu Dracena formará dupla com Mina.

Em São Paulo desde segunda-feira, o Wilstermann acredita que depois de ter goleado o Peñarol também pode surpreender o campeão brasileiro. A receita, segundo o técnico Roberto Mosquera, é não se limitar a defender.

"Nós não pretendemos nos colocar atrás nem sujar a partida porque não combina com nosso estilo e porque os que tentaram fazer isso no Brasil não foram bem. É preciso sair para o jogo e atacá-los com inteligência", declarou o treinador antes da viagem para o Brasil.

A delegação do Wilstermann tem 18 jogadores, entre eles dois brasileiros, o experiente zagueiro Alex Silva, ex-jogador de São Paulo, Flamengo e Cruzeiro, entre outros, e o meia Thomaz, campeão catarinense pelo Avaí em 2009. A principal baixa para enfrentar o Palmeiras será o atacante Gabriel Ríos, expulso no triunfo sobre o Peñarol.


Prováveis escalações:.

Palmeiras: Fernando Prass; Jean, Mina, Edu Dracena e Zé Roberto; Felipe Melo, Tchê Tchê e Michel Bastos; Dudu, Keno (ou Guerra) e Borja. Técnico: Eduardo Baptista.

Jorge Wilstermann: Olivares; Aponte, Zenteno, Alex Silva e Morales; Saucedo, Machado, Thomas e Cardozo; Cabezas e Olego. Técnico: Roberto Mosquera.

Árbitro: Eduardo Gamboa (Chile), auxiliado pelos compatriotas Claudio Ríos e Edson Cisternas.

Estádio: Allianz Parque, em São Paulo. EFE