Esfriou? Valores fazem Grêmio recuar na busca por centroavante que parecia perto de chegar a Porto Alegre

Fabio Utz
·1 minuto de leitura

Parecia que Diego Churín estava próximo de desembarcar em Porto Alegre e ser reforço do Grêmio. Mas não é bem assim. Mesmo que, nos últimos dias, seu estafe desse a tranferência como encaminhada, ainda existe uma boa distância relativa a valores para que o Tricolor possa confirmar a compra do centroavante.

Para liberar o atleta, que tem contrato somente até 2021, o Certo Porteño, do Paraguai, exige US$ 2 milhões (mais de R$ 11 milhões na conversão atual). E este montante o clube gaúcho não irá repassar, afinal, se trata de alguém que está por completar 31 anos e que, por consequência, não possui um poder de revenda capaz de fazer o Grêmio recuperar o investimento. Até o momento, segundo GaúchaZH, também não existe um acerto relativo a salários.

Pode parecer o chamado recuo estratégico, porém é fato que a negociação deu uma esfriada. Muito embora o argentino tenha marcado 53 gols desde 2017, quando chegou a Assunción oriundo do Universidad Concepción, do Chile, o Tricolor tenta reduzir consideravelmente a pedida do rival e, depois, partir para um acordo junto ao profissional. Do contrário, ao que parece, será preciso ir atrás de outra alternativa.

Para mais notícias do Grêmio, clique aqui.

Quer saber como se prevenir do coronavírus? #FiqueEmCasa e clique ​aqui.