Escolas particulares poderão funcionar durante fase emergencial do Plano SP

Anita Efraim
·1 minuto de leitura
SAO PAULO, BRAZIL - OCTOBER 23: Students in a classroom at the Belas Artes University Centeras part of the gradual return of in-person education amidst the coronavirus (COVID-19) pandemic on October 23, 2020 in Sao Paulo, Brazil. Public and private schools in the state can reopen the doors to carry out on-site extracurricular activities to reinforce and welcome students. (Photo by Miguel Schincariol/Getty Images)
Escolas estaduais terão recesso; escolas privadas poderão seguir abertas (Foto: Miguel Schincariol/Getty Images)

As escolas particulares poderão continuar funcionando durante a fase emergencial do Plano SP. A nova etapa de restrição começará a valer no dia 15 de março e tem vigência de duas semanas.

Segundo o secretário estadual de Educação, Rossieli Soares, afirmou que as escolas são essenciais, mas pediu para que os estabelecimentos de educação tentem reduzir ao máximo as atividades presenciais. "Se ela (escola) puder fazer atividades à distância, faça à distância", declarou.

Leia também:

Já no caso da rede estadual, haverá recesso durante duas semanas. Para tentar diminuir a circulação de alunos durante a fase emergencial, o estado decretou duas semanas sem aulas, entre 15 e 28 de março. Originalmente, os períodos sem aulas aconteceriam em abril e em outubro e, assim, não haverá prejuízo para o calendário escolas.

A recomendação do estado é que as escolas particulares e as da rede municipal sigam a medida e também decretem o recesso durante a vigência do fase emergencial.

Mesmo com as escolas estaduais fechadas, os estabelecimentos devem dar a opção para os alunos possam ir ao colégio pegar a merenda oferecida pelo estado. Para isso, a família deve marcar um horário para retirar a comida.