Escalação do São Paulo: pensando no Corinthians, Ceni pode promover rodízio em clássico contra Portuguesa

Pedrinho é favorito para ganhar oportunidade ante a Lusa (Foto: Rubens Chiri/São Paulo FC)


O ano começou com tudo para o São Paulo. Depois do empate sem gols com o Palmeiras no domingo (22), o clube não tem respiro e encara agora uma sequência com mais dois clássicos seguidos: Portuguesa, na quinta-feira (26), e Corinthians, no domingo (29), ambos no Morumbi.

É evidente que em matéria de importância histórica, ambos os jogos tenham o mesmo peso. O próprio técnico Rogério Ceni tratou de enaltecer a Lusa em sua fala após o duelo com o rival alviverde. Mas a verdade é que para o são-paulino, a adversária do Canindé, de volta à elite estadual após sete anos, passa muito menos medo que o arqui-inimigo do Parque São Jorge.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.


+ Futuro goleiro do Flamengo acerta com time de Cristiano Ronaldo, Vasco tem interesse em zagueiro… o Dia do Mercado!

E Ceni pode até falar publicamente em respeito à Rubro-Verde, mas um tropeço em casa ante o Corinthians complicaria muito a confiança pelos lados do Morumbi. Por isso, a solução adotada deverá ser a de rodar o elenco.

O Tricolor tem a volta de Pablo Maia para a partida das 21h30 (de Brasília) desta quinta. O volante, expulso na vitória sobre a Ferroviária, cumpriu suspensão ante o Palmeiras e fica à disposição novamente.

Entre os desfalques, dois novos integrantes: Rafinha e Ferraresi. Ambos saíram contundidos do Allianz Parque com entorses. O primeiro, deve ficar pelo menos um mês parado. O segundo, passará por cirurgia e existe a possibilidade de sequer voltar a vestir a camisa são-paulina.

Se juntam a Caio, Diego Costa, Igor Vinícius, Moreira e André Anderson, todos contundidos, além de Alisson, que vive problemas pessoais graves envolvendo sua família e está liberado das atividades por tempo indeterminado.

Contra a Lusa, Rafael, no gol, Orejuela, na lateral-direita, e Calleri, como centroavante, parecem escalações certas, seja por conquistarem a confiança do treinador (caso do primeiro) ou absoluta falta de opções restantes (casos do segundo e terceiro).

No restante das posições, mudanças devem ocorrer.

Arboleda deve voltar a ser poupado. Com isso, Alan Franco, agora titular absoluto com a contusão de Ferraresi, deve formar a zaga com Beraldo, que belisca uma chance nos 11 iniciais.

Na lateral-esquerda, Welington enfim deve ganhar um respiro. Única opção para o setor, deve ceder seu lugar a Liziero, que enfim será testado na função para a qual foi reitegrado ao grupo.

Jhegson Méndez, reforço trazido dos EUA, jogou duas seguidas, mas com suas condições físicas ainda longe do ideal, segundo o próprio Ceni, também será preservado para o duelo com o Corinthians. Com isso, Pablo Maia e Nestor formam o meio-campo.

No ataque, Ceni está certo que Wellington Rato e David ganhem ritmo de jogo e entrosamento. Devem ser mantidos. Quem de novo é sondado para ir para o banco é Luciano. O novo ponta de lança são-paulino não vem agradando na função e o treinador pode testar outra opção. Talvez Pedrinho, mais recuado, como meia-armador mesmo.

No rodízio de estrangeiros, assunto que por conta do número que excede o limite imposto pela CBF virou pauta no Tricolor, sem Arboleda, Ferraresi e Méndez, a tendência é que Galoppo e, enfim, Gabriel Neves sejam relacionados.

O provável São Paulo que enfrenta a Portuguesa joga com: Rafael; Orejuela, Beraldo, Alan Franco e Liziero; Pablo Maia, Nestor e Pedrinho; David, Calleri e Wellington Rato.

> Confira jogos, classificação e simule os resultados do Paulistão-23