Erros e acertos: Confira os reforços sul-americanos do Flu na década

Joel Silva
LANCE!


O Fluminense de 2020 está sendo montado com um toque latino. Após anunciar a contratação do peruano Fernando Pacheco, o Tricolor encaminhou a contratação do uruguaio Michel Araújo e espera trazer mais um sul-americano para fechar o ciclo de contratações. Os citados não são conhecidos da torcida tricolor e são tratados como apostas.

Esse tipo de contratação é bastante comum quando se trata do Fluminense. Uns deram muito certo, alguns renderam o esperado e outros foram um fiasco total. O LANCE! relembra todos os jogadores que vieram de países vizinhos na década atual. A lista é bem extensa:

2011



Lanzini - Fluminense
Lanzini - Fluminense
Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Lanzini ainda é lembrado pelos torcedores (Divulgação/ FFC)

O Fluminense contou em seu elenco com os argentinos Conca, Lanzini e Martinuccio, além do colombiano Valencia. Conca e Valencia eram remanescentes do título brasileiro do ano anterior, enquanto os outros chegaram naquele ano após se destacarem por River Plate e Peñarol. O ano marcou a saída do ídolo tricolor para o Guangzhou Evergrande, da China.

2012

Martinuccio - Fluminense
Martinuccio - Fluminense

Martinuccio não deixou saudade (Divulgação)

Nesta temporada, o Fluminense não realizou contratações mas manteve os gringos do ano anterior, porém por pouco tempo. Martinuccio foi emprestado para o Villarreal, da Espanha e depois para o Cruzeiro, isso após ter jogado apenas uma partida com a camisa tricolor. Lanzini teve destaque no primeiro semestre, mas acabou retornando para o River Plate, já que estava apenas emprestado. Valencia permaneceu e conquistou o seu segundo título brasileiro.

2013

Monzón - Fluminense
Monzón - Fluminense

Poucos vão lembrar de Monzon (Bruno Haddad/Fluminense)

O zagueiro Fabián Monzon foi contratado no início do ano após atuar no futebol francês desde a temporada 2010/11, defendendo Nice e Lyon. No entanto, o argentino não agradou, entrando em campo em apenas nove partidas. Acabou deixando o Fluminense no segundo semestre para jogar no Catania. Valencia permanecia no elenco, porém sem brilho, disputando apenas 10 jogos naquele ano.

2014

Conca pelo Brasileirão 2014
Conca pelo Brasileirão 2014

Conca brilhou com a camisa do Flu (Cleber Mendes/Lancepress!)

O ano ficou marcado pelo retorno do ídolo Conca ao Tricolor. O meia manteve a regularidade dos outros anos, entrando em campo em 59 partidas e marcando 16 gols. Ao fim da temporada, o argentino deixou o Fluminense novamente, dessa vez para jogar no Shanghai SIPG, da China. Valencia também deu adeus, acertando a sua ida para o Santos. O colombiano defendeu o clube por cinco anos, somando 118 partidas e nenhum gol.

2015

Bryan Oliveira
Bryan Oliveira

Bryan Oliveira não atuou profissionalmente pelo Flu (Foto: Divulgação)

Após estar emprestado desde 2012, tendo passado também por Coritiba, Martinuccio retorna ao Fluminense, porém estava fora dos planos da comissão técnica e não entrou em campo. Outro que também não vingou foi Bryan Oliveira. O uruguaio, tratado como "novo Conca", foi contratado um ano antes para integrar o time sub-20 e foi promovido aos profissionais em 2015, porém não recebeu oportunidades, sendo emprestado ao Los Angeles Galaxy e Ottawa Fury, do Canadá.

2016

Claudio Aquino
Claudio Aquino

Aquino se envolveu em polêmicas (Mailson Santana/Fluminense)

Com o aval do ídolo Romerito, o Fluminense contratou por empréstimo o paraguaio Alexis Rojas junto ao Sportivo Luqueño. No entanto, o atacante não conseguiu se destacar e passou a temporada inteira sem jogar, sendo relacionado apenas uma única vez. Claudio Aquino, meia argentino, também não agradou, jogando apenas duas partidas.

2017

Orejuela e Sornoza
Orejuela e Sornoza

Sornoza e Orejuela na apresentação (Nelson Perez/ Fluminense F.C.)

Sornoza e Orejuela chegaram ao Fluminense credenciados pela ótima Libertadores com o Independiente del Valle, competição que terminaram com o vice-campeonato. O meia foi titular durante toda a temporada. Já o volante, perdeu a condição na reta final do Brasileiro. Acabou sendo sendo emprestado para a LDU, do Equador, no fim do ano.

2018

Cabezas
Cabezas

Bryan Cabezas não fez gol pelo Flu (Mailson Santana/Fluminense)

Sem Orejuela, mas com Sornoza, o Fluminense buscou mais um equatoriano e contratou por empréstimo o atacante Bryan Cabezas, junto a Atalanta, da Itália. O jogador foi mais uma aposta que não vingou, entrando em campo em apenas cinco partidas, duas como titular. O goleiro uruguaio De Amores também chegou neste ano, mas nem chegou a jogar pelo clube. Sornoza se manteve na equipe, mas foi negociado com o Corinthians ao fim da temporada.

2019

Yony Gonzáles
Yony Gonzáles

Yony foi o artilheiro do time com 17 gols (Lucas Merçon/Fluminense)

Por conta das lesões, De Amores demorou para deixar o Fluminense, retornando ao Boston River, do Uruguai, apenas no meio do ano. Já Yony González jogou e se destacou. O atacante chegou em janeiro após se despontar pelo Junior Barranquilla, da Colômbia, vice-campeão da Copa Sul-Americana no ano anterior. O colombiano foi o artilheiro do time na temporada com 17 gols em 62 jogos. Após o contrato se encerrar com o Tricolor, o jogador fechou com o Benfica.


Leia também