Equador espera usar "pressão em casa" contra o Catar em estreia da Copa, no próximo domingo

O Equador espera aproveitar a "pressão" na casa do anfitrião Catar para levar a melhor no próximo domingo (20), na partida entre as duas equipes, na abertura da Copa do Mundo.

"As duas seleções estão com aquele nervosismo para começar o Mundial e quem errar menos vai vencer", disse o meio-campista Carlos Gruezo nesta quinta-feira (17), em entrevista coletiva antes dos últimos treinos no Catar.

"Mas eles estão se preparando há muito tempo e esperamos que sintam essa pressão para jogar em casa", acrescentou o jogador do Augsburg, que estava convencido de ter se recuperado do desconforto físico que sentiu recentemente que ameaçava mantê-lo fora da competição.

Gruezo destacou que a seleção deve se manter fiel aos valores que a levaram a disputar sua quarta edição de um Mundial: "humildade, estarmos unidos, todos trabalharmos igualmente, acreditarmos em nós mesmos mais do que ninguém".

O veterano Ángel Mena, de 34 anos, também estava presente na coletiva de imprensa. O jogador do Club León foi um dos que marcou gols recentemente pela equipe, que nos seis amistosos de preparação para o Catar só marcou duas vezes, nas vitórias por 1 a 0 contra Nigéria e Cabo Verde.

"É evidente que não temos marcado gols nos últimos jogos, mas estamos muito confiantes, sabemos da qualidade e potencial de cada um", pontuou sobre a seleção, que teve o segundo melhor ataque (empatada com a Argentina, com 27 gols) nas últimas eliminatórias sul-americanas, atrás apenas do Brasil (40).

"Este Mundial é um desafio muito bonito e estamos convencidos de que vamos fazer uma boa Copa do Mundo e marcar muitos gols", acrescentou.

Para Mena, um aspecto "que pode fazer a diferença" será o jogo de bola parada, "por isso teremos que ter muito cuidado nesse sentido e aproveitar as oportunidades".

O jogador está convencido de que o Equador não deveria "mudar em nada o que foi mostrado nas eliminatórias (sul-americanas): uma equipe sólida e forte defensivamente", como mostra o fato de que nos seis amistosos de preparação, a equipe não sofreu gols e fechou a classificação na Conmebol sendo o terceiro time com menos gols sofridos (19 em 18 jogos).

- "Lidar melhor com a ansiedade" -

Assim como Gruezo, Mena espera que os equatorianos aproveitem a pressão que os anfitriões sentirão em casa.

"A maioria de nós aqui já tem uma trajetória e pode lidar melhor com a ansiedade de jogar o primeiro jogo."

Os jogadores sul-americanos contam também com a ajuda de um psicólogo "que nos ajuda todos os dias e estamos focados em querer fazer bem" para ajudar a equipe, que, em três participações em Mundiais, superou a fase e grupos apenas uma vez, em 2006.

No que diz respeito às possíveis formações em campo, nenhum dos dois jogadores se atreveu a entregar a estratégia do treinador Gustavo Alfaro para o jogo de estreia.

Seja jogando com dois atacantes ou apostando no contra-ataque com um único homem de referência, Mena sublinha que "o Equador tem todas as armas para poder vencer este jogo", que já pode ser decisivo para a classificação do grupo A, que também conta com a favorita Holanda e o Senegal.

mcd/psr/yr/am