Equador deixa Byron Castillo fora da Copa do Mundo por medo de punição, revela embaixador

Byron Castillo deve ficar de fora da Copa do Mundo de 2022 (Foto: MARCELO HERNANDEZ / POOL / AFP)


O Equador ainda não divulgou a lista final com os 26 atletas que vão defender a equipe na Copa do Mundo. Mas, segundo o embaixador do país no Qatar, Pascual Del Ciopp, o nome de Byron Castillo não estará entre os chamados.

+ TAS confirma Equador na Copa do Mundo, mas aplica punição à seleção

- Desgraçadamente, Byron Castillo não vem ao Qatar. Seria o broche de ouro que Byron fosse ao Mundial e fizesse um gol, mas infelizmente, a notícia que temos é que ele não vem - declarou Pascual Del Ciopp ao "Hechos de Impacto", programa de TV do país.

O embaixador acessou a lista antes da divulgação oficial, prevista para o próximo domingo. Recentemente, a Federação Equatoriana de Futebol consultou a elegibilidade do lateral para a Copa do Mundo. Porém, com receio, resolveu deixar Castillo fora da relação final.

- É uma decisão que a Federação tomou, o mais seguro para evitar problemas futuros - disse Del Ciopp.

Entenda o caso Byron Castillo

O Chile entrou com um processo na entidade máxima do futebol após documentos indicarem que Byron Castillo possa ter falsificado certidões que comprovariam que o jogador teria nascido na Colômbia.

- Jogos pelo Equador: no dia 2 de setembro de 2021, Byron Castillo estreou com a camisa da La Tri e participou dos 90 minutos em jogo válido pela Eliminatória da Copa do Mundo contra o Paraguai. Ao todo, o lateral participou de oito jogos do torneio, inclusive sendo dois contra o Chile.

- Acusação de falsificação de documentos: no início de maio de 2022, o Chile entrou com uma ação na Fifa alegando suposta falsificação de documentos relacionados ao jogador Byron Castillo. Segundo os acusadores, o atleta teria nascido na Colômbia e teria falsificado sua idade.

- Abertura da investigação: no dia 11 de maio, a Fifa decidiu abrir investigação para apurar a denúncia feita pelo Chile. A possível condenação faria com que o Equador perdesse os pontos conquistados nas oito partidas em que Byron Castillo foi escalado. Com isso, o Chile poderia ultrapassar a La Tri na classificação e ir direto para o Mundial.

- Resposta do Equador: sem se aprofundar no caso, a Federação Equatoriana de Futebol afirmou à Fifa que não havia nenhuma irregularidade na documentação do lateral e que não havia motivo para punições.

- Documentos em jogo: o jornal espanhol "Marca" conseguiu ter acesso a documentos, já em posse da Fifa, que comprovam que uma pessoa com o nome de Byron Javier Castillo Segura, que seria irmão mais velho de Byron David, teria sido batizado em 1995 na Diocese de Tumaco, na Colômbia.

Um segundo documento, apresentado pelos equatorianos, se refere ao registro de Byron David Castillo Segura, em 1998, em General Villamil, também conhecido como Playas, no Equador.

- Alegação da defesa: o Equador alega que Byron David Castillo Segura teria tido um irmão mais velho nascido com o nome de Byron Javier Castillo Segura, mas que este teria falecido. Além disso, a defesa diz que ambos nasceram em países diferentes.

- Advogado ao ataque: Eduardo Carlezzo, advogado de defesa da Associação Nacional de Futebol Profissional do Chile (ANFP), negou que Byron Castillo tenha tido um irmão nascido na Colômbia e afirmou ter provas sobre a fraude do Equador.

- Punição do TAS: segundo o Tribunal Arbitral do Esporte (TAS), Byron Castillo era um atleta elegível para participar das Eliminatórias do Mundial, uma vez que as autoridades do país reconheciam o jogador como um equatoriano. No entanto, a La Tri será punida com a perda de três pontos nas próximas Eliminatórias, pois a Federação Equatoriana usou um documento com informação falsa, o que viola o artigo 21 do Código Disciplinar da FIFA.

O Equador está no Grupo A da Copa do Mundo ao lado de Holanda, Senegal e do anfitrião: Qatar, com quem duelará na abertura da competição no dia 20 de novembro.