Entrosamento dos reforços recentes com o elenco é esperança para a evolução do Vasco

·1 min de leitura
Zé Vitor, Gabriel Dias, Palacios e Erick foram apresentados no Vasco na última quarta (Foto: Daniel Ramalho / Vasco)


A Série B do Campeonato Brasileiro está só começando, mas Zé Ricardo está, sim, sob pressão. Saldo das atuações na reta final do Carioca mais o tempo de treino que não melhorou o rendimento da equipe. O próximo jogo é contra a Chapecoense, nesta sexta-feira, e a esperança de evolução passa - também - pela participação e pelo entrosamento de reforços recentes do Vasco.

Ainda não jogaram pelo Cruz-Maltino o atacante Zé Vitor, o zagueiro Danilo Boza e o meia Palacios - este último pode demorar mais a estrear. Contudo, mesmo quem já atuou tem poucos minutos. São os casos de Lucas Oliveira, Erick e Gabriel Dias - o único que foi titular.

- A minha avaliação, principalmente do primeiro tempo, é que mostramos alguma evolução em relação à primeira partida, mas não é fácil termos cinco jogadores... às vezes as pessoas acham que colocar cinco jogadores numa equipe, de uma vez, é como numa poção mágica, que as coisas vão acontecer rapidamente - analisou o técnico Zé Ricardo após o jogo contra o CRB, no último sábado.

Obviamente, é função do treinador promover as conexões em campo e escolher o melhor momento para cada jogador contribuir. Após o retorno de Maceió e o domingo de Páscoa, o departamento de futebol se reapresenta no CT Moacyr Barbosa nesta segunda-feira.

-> Confira a tabela da Série B do Campeonato Brasileiro

Até a próxima partida, ao menos dois treinos táticos devem acontecer. Oportunidades para entrosar, na prática, os jogadores citados.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos