Entenda superávit de R$ 1,7 milhão do balanço de 2019 do Palmeiras


Nesta quinta-feira, o Palmeiras publicou o seu balanço financeiro de 2019, com um superávit de R$ R$ 1.724.000. Por conta da pandemia do coronavírus, não houve reunião do Conselho Deliberativo do clube, mas todos os membros receberam os números previamente, além dos pareceres de auditorias e do Conselho de Orientação e Fiscalização.

As contas mostram que, ao final da temporada passada, ocorreram lucros de R$ 13.807.000 no futebol profissional e R$ 11.592.000 com as categorias de base, mas um prejuízo de R$ 23.675.000 com clube social e esportes amadores. Os números indicam o superávit de R$ 1.724.000.


O superávit está bem abaixo do apresentado em 2018, quando o Palmeiras, segundo o balançou, arrecadou R$ 30.688.000 mais do que gastou. Uma das explicações é que, com o sucesso financeiro de dois anos atrás, aliados ao título brasileiro e às campanhas de semifinais em Libertadores e Copa do Brasil e final do Paulista, houve um aumento no orçamento para 2019.

A arrecadação no ano passado esteve aquém do que se imaginava, e uma das explicações foi o desempenho abaixo do que se esperava de um time ainda mais caro e, consequentemente, menor receita com bilheterias. Por isso, o clube já tinha aprovado um orçado menor para 2020, enxugando a folha salarial e reduzindo drasticamente a movimentação para contratar atletas.

Confira os principais números do balanço financeiro do Palmeiras em 2019:

Receitas em 2019

Direitos de transmissão de TV: R$ 216.836.000
Publicidade e patrocínio: R$ 119.301.000
Arrecadação de jogos: R$ 61.765.000
Negociação de atletas: R$ 108.221.000
Sócio-torcedor Avanti: R$ 46.091.000
Timemania e outros: R$ 1.859.000
Premiações: R$ 21.344.000
Arrecadação sicial: R$ 39.126.000
Licenciamentos de marca e franquias: R$ 15.733.000
Departamentos amadores: R$ 15.000
Rendas diversas: R$ 11.624.000
Financeiras: R$ 23.623.000
Total de receitas: R$ 665.538.000

Despesas em 2019

Pessoal e encargos sociais: R$ 255.199.000
Direito de imagem: R$ 50.922.000
Jogos: R$ 31.414.000
Sócio-torcedor Avanti: R$ 25.374.000
Gerais e administrativas: R$ 90.028.000
Depreciação e amortização: R$ 6.043.000
Amortização - direitos com jogadores: R$ 130.483.000
Baixa de gastos com atletas: R$ 34.338.000
Financeira: R$ 40.013.000
Total de despesas: R$ 663.814.000

Resultado: superávit de R$ 1.724.000































Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também